Gustavo Adebayor, artilheiro da Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano ao lado dos santistas e campeões Diego Cardoso e Stéfano Yuri, todos com nove gols, foi destaque da surpresa Taboão da Serra na competição e viu sua vida mudar completamente em pouco mais de seis meses. Seu desempenho em campo chamou a atenção de muita gente e, após diversas sondagem e algumas propostas, o jovem atacante de 19 anos de idade foi anunciado na última semana como novo reforço do time profissional do Criciúma.

Concentrado e treinando com a equipe em Santa Catarina desde a eliminação do Taboão na Copinha, Gustavo Adebayor, como é conhecido entre os torcedores por ter caracteristicas semelhantes às do atacante togolês do Tottenham, atendeu a equipe do Virgula Esporte e contou um pouco sobre sua vida e sonhos, agora como atleta profissional.

Praticante do futebol de várzea desde os tempos de criança, Gustavo sempre se destacou por sua estatura avantajada, mas também por se movimentar muito rápido. A habilidade, unida ao faro de gol, chamou a atenção dos olheiros do Taboão da Serra no meio do ano passado.

“Comecei jogando na várzea quando tinha apenas 16 anos, atuando pela Lusa, um time da minha família em Registro. Disputei algumas competições e torneios municipais no Sub-17 e também no Sub-20, mesmo sendo mais novo. No ano passado o Jair Cunha (empresário do jogador) me viu jogando um desses campeonatos e me selecionou para um peneira no Taboão”, conta o artilheiro.

“Depois de passar no teste, fui logo disputar o Campeonato Paulista Sub-20 pelo Taboão e ficava na casa da tia do goleiro do nosso time. Terminei a competição com seis gols, sendo que fiz apenas o último jogo como titular”, completou.

Reserva entre os jogadores selecionados para disputar a Copa SP de 2014, Gustavo Adebayor viu um de seus companheiros se machucar durante a pré-temporada e, durante um amistoso contra o Santos, que meses depois eliminaria o Taboão da Copinha, ele fez sua estreia como titular e não saiu mais do time.

“Nunca imaginei viver tudo que vivi até agora, em tão pouco tempo. Eu era reserva do time no Sub-20, mas o Jair Cunha confiou em mim. Quando vim de Registro, depois do Paulista, ficava na casa dele, em Embu das Artes. Ele me apoiou bastante e sou muito grato a ele por tudo”, disse.

A oportunidade foi dada pelo técnico Fábio Cunha e o atacante não desperdiçou. Logo na estreia, diante do Luverdense-MT, Gustavo marcou três vezes e foi o grande nome da vitória do Taboão da Serra por 5 a 1. No jogo seguinte, contra o São Caetano, o camisa 9 voltou a balançar as redes, em duas oportunidade. E o feito foi repetido nos 2 a 0 contra o Grêmio, na última rodada do grupo Q (veja os gols contra os gaúchos no vídeo abaixo).

Nas fases decisivas, a estrela de Gustavo voltou a brilhar e ele foi decisivo nos confrontos contra São Bernardo e Audax. O único jogo que Adebayor não balaçou as redes foi contra o Santos, quando o Taboão deixou a competição. Para o camisa nove, se o adversário nas quartas de final fosse outro, a história mudaria.

“Perdemos para o campeão, para o melhor time do campeonato. Se não fosse o Santos na nossa frente, certeza que estaríamos na final da Copa São Paulo. Mas infelizmente pegamos o time com a melhor base do Brasil”, enfatizou.

Mesmo não jogando em um time com grande visibilidade, Gustavo tinha ciência da visibilidade que um campeonato como a Copa São Paulo de Futebol Júnior tem. E o ex-camisa 9 do Taboão da Serra nem mesmo teve tempo para descansar após a eliminação nas quartas-de-final por conta do assédio de clubes e empresários.

Procurado por times do Brasil e do exterior, Gustavo revela que negou diversas propostas, entre elas uma do Corinthians, para acertar com o Criciúma. Segundo o atacante, a ideia era encontrar um clube que ele pudesse jogar de imediato e mostrar seu talento.

“Quando fomos eliminados da Copa São Paulo, surgiram propostas de Portugal, do Japão, do Cruzeiro, Criciúma e também do Corinthians. Sentei com a diretoria do Taboão da Serra, com o presidente Anderson Nobrega, com meu pai e com o Jair Cunha e conversamos bastante. Optamos pelo Criciúma para não queimarmos etapas. Não adiantava dar um passo maior que a perna. Sabia que aqui teria mais oportunidades, por isso fiz a escolha certa”, explicou.

Para vencer a batalha contra os concorrentes, o Criciúma desembolsou R$ 500 mil para comprar 35% dos direitos do atleta. Gustavo detém 30% do próprio passe e o Taboão da Serra conta com os 35% restantes.  O tempo de contrato não foi divulgado pelo clube de Santa Catarina.

“O Gustavo é um jogador que me agrada. É uma aposta que todo o clube tem que fazer. Vou apostar e vou ver como vai ser. Espero que venha para somar e que seja assim. Mas eu gosto muito também do Bruno Lopes, do Vitor Michels, Rodrigo (Silva), (Fernando) Karanga. E temos mais jogadores de ataque, como o Lulinha, Lucca e outros”, declarou o treinador da equipe catarinense, Ricardo Drubscky.

Gerente de futebol do Criciúma, Guto Silva explica como funcionou o tramite para trazer Gustavo Adebayor.

“O Gustavo foi observado por alguns representantes nossos, e o arremate na negociação foi feito pelo Armando Desessards, que viajou a São Paulo e viu o potencial do atleta. A negociação foi rápida. Ele vai se apresentar ao profissional, embora seja um atleta que pode jogar na categoria de base também. Neste ano nós temos muitas competições inferiores, e vamos ter que reforçar a nossa base”, afirmou Silva.

Apesar de contratado pelo Criciúma, Gustavo não esquece do carinho da torcida do Taboão da Serra e relembra a festa feita pelos torcedores no jogo da eliminação.

“A torcida do Taboão foi maravilhosa. Vou levar o carinho dela por onde eu passar. Eles cantaram os 90 minutos em todos os jogos e o que eles fizeram em Barueri, em massa, contra o Santos, foi fora do normal”, afirmou.

A apresentação oficial de Gustavo como jogador do Criciúma acontece nesta quinta-feira (30), um dia após o clássico contra o Figueirense, pelo Campeonato Catarinense, no CT do clube. 

Sem mais artigos