O nadador brasileiro Daniel Dias voltou a se mostrar invencível nesta quinta-feira ao conquistar a medalha de ouro nos 50 metros costas classe S5, sua quarta nos Jogos Paralímpicos de Londres e a terceira com recorde mundial.

Daniel completou a prova em 34s99 e impôs uma boa vantagem aos outros concorrentes. O chinês Junquan He ficou com a medalha de prata, com a marca de 36s41, e o húngaro Zsolt Vereczkei obteve o bronze, com 38s92.

O nadador brasileiro, que já havia conquistado nove medalhas em Pequim – quatro ouros, quatro pratas e um bronze -, ganhou em Londres todas as provas individuais que disputou e bateu o recorde mundial em quase todas elas. A exceção foi os 200 metros livres, em que fez “apenas” o recorde paralímpico.

Nascido com má formação nas pernas e nos braços, Daniel se tornou o maior atleta do Brasil em Paralimpíadas. Ele igualou o também nadador Clodoaldo Silva e a velocista Ádria Santos com 13 medalhas, mas leva a melhor no número de ouros.

O atleta de 24 anos ainda pode subir ao pódio mais três vezes em Londres, já que ainda participará das provas de 100 metros livre, 50 metros borboleta, e revezamento 4×100 metros medley 34 pontos.

Nos 100 metros livre classe S10, André Brasil, com o ouro, e Phelipe Rodrigues, com a prata, protagonizaram uma dobradinha brasileira.

André completou a prova em 51s07, assinalando um novo recorde paralímpico, e obteve sua quinta medalha em Londres, com três ouros e duas pratas. Phelipe, por sua vez, fez a marca de 52s42 e subiu ao pódio paralímpico pela primeira vez. O australiano Andrew Pasterfield foi bronze, com 52s77.

Sem mais artigos