Se depender da Câmara dos Deputados, o futebol brasileiro estará “bem” representado até a Copa de 2014. Durante o pleito do último fim de semana, quatro jogadores conseguiram boa quantia de votos e representarão o esporte na política.

De certo modo surpreendente, o ex-goleiro do Grêmio Danrlei de Deus Hinterholz (PTB), 37 anos, foi o esportista com mais votos. Na busca por uma vaga de deputado federal, o ex-atleta ganhou 173.787 e garantiu sua vaga em Brasília.

O segundo mais votado foi Marques (PTB). Ídolo da torcida do Atlético Mineiro, com passagens por Corinthians, Flamengo, São Paulo, entre outros, o ex-atacante teve 153.255 votos e também estará na Assembléia Legislativa a partir de 2011.

No Rio de Janeiro, a dupla Bebeto e Romário mostrou o mesmo entrosamento da Copa do Mundo de 1994. Ambos conseguiram ser eleitos, o primeiro para deputado estadual com 28.328 votos e o segundo para deputado federal com 146.859 votos.

Também no Rio de Janeiro, a briga vascaína foi grande. Roberto Dinamite (PMDB), presidente do Vasco, alcançou 39.730 e se elegeu como deputado estadual superando o rival Eurico Miranda (PP), ex-mandatário do clube, que teve 17.228 e não garantiu sua vaga como deputado federal.

A decepção no mundo do esporte ficou por conta do Corinthians. Marcelinho Carioca (PSB), Vampeta (PTB) e Dinei (PDT) não conseguiram votos suficientes para entrar no mundo da política.

Os palmeirenses também viram um ídolo ficar de fora. Ademir da Guia (PPS), ex-vereador paulista, alcançou apenas 17.196 e ficou de fora.

Em Goiás, o mundo do futebol viu Túlio Maravilha (PMDB) ficar de fora. Com apenas 4.526 votos, o atacante deverá seguir em busca do seu milésimo gol. Harlei (PSDB), goleiro do Goiás ainda em atividade, também ficou de fora no estado com apenas 167 votos.

Ainda no mundo do futebol, o técnico Valdir Espinosa (PDT) também ficou de fora com seus 2.292 votos. No Pará, o atacante Robgol (PDT), ex-Santos, teve 11.814 indicações e não conseguiu sua vaga.

Outros esportes

Maguila (PTN) e Acelino Popó Freitas (PRB), ex-boxeadores, Barbosa, ex-técnico da seleção brasileira de basquete, Pampa (PV), ex-vôlei, Rebeca Gusmão (PC do B), ex-nadadora, e Maria Zeferina Baldaia (PSDB), maratonista, também tentaram a sorte no pleito de 2010, mas ficaram de fora.

Quer saber como foram os músicos no pleito? Clique aqui e veja os resultados dos cantores que se arriscaram na vida política.

Danrlei é atleta mais votado em eleições; corintianos decepcionam em São Paulo

Sem mais artigos