Principal contratação “internacional” de um clube para a Superliga nesta temporada, o ponteiro Dante acredita em um bom desempenho do RJX, time criado por Eike Batista, no maior campeonato de vôlei do Brasil.

“É um time forte, com uma equipe técnica muito boa e todo o apoio do Rio de Janeiro. O entrosamento está sendo ótimo entre os jogadores. O time ainda treinou pouco junto, praticamente uns três treinos e mais os dois amistosos”, disse o jogador.

De volta ao Brasil, o atleta de 30 anos conversou com o Portal Virgula e comentou seu retorno, o que espera da Superliga e a importância da recuperação de seu filho Antônio, que nasceu com uma má formação congênita no coração, para ele crescer como atleta.

Portal Virgula – Qual a sua expectativa em relação ao RJX?

Dante Amaral – A melhor possível, um time forte com uma equipe técnica muito boa e todo o apoio do Rio de Janeiro. O entrosamento está sendo ótimo entre os jogadores. O time treinou pouco ainda junto, praticamente uns três treinos e mais os dois amistosos.

PV – O que vai ser fundamental para esse time conseguir brigar com os grandes da Superliga?

DA – Muito treino e entrosamento. Concentração e confiança.
 
PV – E o seu retorno ao Brasil? Acha que vai precisar de readaptação?

DA Já estou adaptado. Quem não se adapta rapido a esse clima, a essa torcida e aos torcedores brasileiros? No dia que cheguei já estava adaptado. (risos)
 
PV – O que fez você voltar?

DA – Família em primeiro lugar, ficar perto dos meus filhos, o clima, e essa nova oportunidade de jogar por um time grande, um novo desafio.
 
PV – Recentemente, o Giba anunciou que vai largar a seleção depois das Olimpíadas. Você acha que a seleção vai perder muito?

DA – Com certeza, o Giba é uma peça fundamental no time , tem uma super experiência e faz a diferença. Mas, como tudo, tem seu tempo para parar, chegou a hora dele e vamos continuar nossa missão dentro da seleção. 
 
PV – O que mudou no Dante jogador depois dos problemas que o Antônio passou? Ver ele 100% te ajudou dentro de quadra?

DA – Muito, ver um filho seu doente, é a pior coisa que existe. A melhora dele com certeza me ajudou a estar bem em quadra. Com os problemas do Antônio, outros ficaram tão pequenos…. Ele está lindo e grandão.

Sem mais artigos