Dante foi um dos quatro zagueiros escolhidos pelo técnico Luiz Felipe Scolari para defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo. O jogador do Bayern de Munique, em entrevista enviada por sua assessoria de imprensa, falou a respeito da emoção da convocação para o seu primeiro Mundial e do que espera encontrar nos gramados brasileiros no torneio que está há pouco mais de um para começar e que, para ele, trazer o hexa é uma missão.

“Com tanta emoção, a gente fica sem palavras. É um momento que a gente procura comemorar bastante, que a gente se lembra quando éramos crianças, nossos sonhos, nossos objetivos, nossa carreira. Só que, por outro lado, já estando conscientes de que fomos escalados para uma missão. A missão é levantar a taça da Copa do Mundo, e estamos preparados” disse.

Acostumado às finais europeias e domésticas que o seu time tem chegado nos últimos anos, Dante crê que a pressão é algo normal quando o assunto é futebol de altíssimo nível, como tem jogado desde que chegou no clube bávaro.

“A pressão faz parte. É por isso que estamos jogando nesse nível. Claro que não vai ser nada fácil, pois nós brasileiros jogamos com emoção, com muita paixão, com o coração, e os torcedores são a mesma coisa, eles torcem com emoção. Estamos com um grupo realmente fechado, sempre ajudando uns aos outros. Cabe a nós entrar como 23 guerreiros dentro de campo, 23 leões, para levantar a taça na nossa casa e não deixar ninguém vir de fora para levar essa taça que é nossa”, salientou o zagueirão.

Conhecedor do futebol alemão, citou logo de cara a nação quando perguntado quem seria o maior rival para o título. Para ele, a atual campeã Espanha também pode complicar, além de Argentina e Itália. Mas Dante não escolhe adversário.

“Esperamos realmente que se pagarmos uma dessas equipes pela frente, fazer um grande jogo e vencer”, finalizou.

Assista abaixo à entrevista completa:

<a href=”http://mais.uol.com.br/view/15026859″>Zagueiro Dante fala sobre convocação para a Copa do Mundo</a>

Sem mais artigos