O zagueiro David Luiz não fugiu nesta sexta-feira (30) das questões sobre a transferência do Chelsea para o Paris Saint-Germain, confirmando que fez o acerto antes do início da preparação para a Copa do Mundo, para deixar o pensamento focado na Seleção Brasileira.

“Eu fiz questão de acertar tudo antes de vir para a seleção. É uma nova etapa, um novo projeto. Fui muito feliz no Chelsea, ganhei vários títulos, mas eu acho que o ciclo chegou ao fim. Agora é começar outro depois do Mundial. Tô muito feliz”, disse o defensor, em entrevista coletiva concedida na Granja Comary.

O ainda atleta dos Blues – a transferência só será sacramentada na abertura da janela europeia, em 10 de junho -, evitou cravar que a zaga do PSG, que já tem Thiago Silva (foto abaixo), será a melhor do mundo, mas admitiu que o entrosamento facilita as coisas.

“Sabemos que essa parceria ajudará bastante, mas sabemos que se o David não correr, se o Thiago não correr, não vai adiantar nada”, garantiu, pouco antes de elogiar muito o companheiro de seleção.

Sobre os valores da transferência, David Luiz brincou, afirmando que “o mundo tá ficando caro”, já que os valores estimados são de € 50 milhões (R$ 152 milhões), o que o torna o zagueiro mais caro da história do futebol mundial.

“Quanto aos valores, eu não trato disso, eu apenas tento dar meu melhor em campo, mas nunca deixarei de ter os pés no chão, de lembrar que eu sou uma pessoa igual as outras”, disse o defensor.

O meia-atacante Willian (foto abaixo), outro jogador escalado pela CBF para conversar com jornalistas, também falou sobre a ida do amigo ao time francês, admitindo que deseja sucesso profissional ao zagueiro, apesar de lamentar a “separação”.

“Por um lado, fico triste por perder um amigo, um companheiro, mas fico feliz pela felicidade dele. Vou torcer muito por ele, como sempre torci. Vamos ficar distantes, mas vamos fazer contato, sem dúvida nenhuma”, disse o ex-jogador de Corinthians e Shakhtar Donetsk.

Reserva do time de Luiz Felipe Scolari, Willian lembrou que jogou ainda na infância com David Luiz, na escolinha do ex-meia Marcelinho Carioca. Depois, a dupla se reencontrou no Campeonato Mundial sub-20, em 2007. Além disso, revelou o lobby do amigo na transferência do Anzhi para o futebol inglês.

“Quando o Chelsea estava interessado no meu futebol, o David foi um dos caras que me apoiou, que mostrou para a diretoria que poderiam me contratar. É um amigo que tenho no futebol. Mesmo depois que encerrar a carreira vai ser um grande amigo meu”, disse o meia-atacante.

O clima foi bastante descontraído na coletiva com os dois amigos, com muitas caretas e provocações. David “impediu” o amigo sair da sala de coletiva após o fim de sua participação. Além disso, cobrou ser incluído em lista dos atletas preferidos de Willian, que ainda teve Ronaldinho Gaúcho, Iniesta, Neymar e Cristiano Ronaldo.

O zagueirão também admitiu o lado “babá” das filhas do meia-atacante, já que Manuela e Valentina “mais riem do que choram” quando estão sob seus cuidados.

Por outro lado, David Luiz “lamentou” que a partir da ida para Paris, terá que conviver quase que diarimente com o “resmungão” Thiago Silva, a quem só encontra na Seleção Brasileira.

Sem mais artigos