É na Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro onde fica
situada uma verdadeira joia do surf brasileiro. Famosa nacional e internacionalmente
entre os amantes das ondas, a cidade de Saquarema pode ser considerada uma
perfeita tradução da expressão popular segundo a qual “quem foi rei nunca perde
a majestade”.

Descoberta por surfistas californianos no fim dos anos 1960,
Saquarema logo passou a ser point obrigatório para surfistas de todos os cantos
do Rio de Janeiro e também de outros Estados. Durante a década de 1970, o lugar
vivia apinhado de praticantes do esporte em busca das ondas grandes em picos
como a Praia da Vila e Itaúna. No entanto, nas décadas seguintes o burburinho
em torno do local diminuiu bastante, em decorrência principalmente de “achados”
de outros pontos de surf espalhados pelo litoral fluminense, que logo se
convertiam em picos da moda. Apesar disso, Saquarema nunca deixou de ser
frequentada por surfistas no sentido mais completo da palavra: homens e
mulheres de espírito livre e que fazem da prática esportiva um verdadeiro
estilo de vida.

A importância de Saquarema para o surf brasileiro e mundial é comprovada todos
os anos com a realização do Quiksilver Saquarema Prime, competição que atrai grandes
nomes do esporte. Na edição 2013, realizada em maio, a praia de Itaúna recebeu
astros de primeira grandeza, entre eles os brasileiros Raoni Monteiro e Gabriel
Medina, e os estrangeiros Marc Lacomare e Mitchel Coleborn, este último o
grande vencedor do torneio.

Outra prova de que Saquarema nunca perdeu nem perderá seu posto de meca do surf
é o fato de cada vez mais forasteiros resolvem fixar suas bases na cidade. Desses,
boa parte é composta de surfistas vindos das mais diferentes regiões. O empresário
Henrique Carignola, 34 anos, é um deles. Natural de São Paulo, ele deixou maior
cidade do país e as idas semanais à Maresias, onde surfava no litoral paulista,
para investir e viver em Saquarema. “Estive aqui pela primeira vez ainda nos
anos 90 e me apaixonei. Imediatamente me imaginei morando aqui Mas a vida, o
trabalho e as obrigações me prendiam a São Paulo”, conta ao Virgula.

Após uma viagem à Saquarema durante sua lua de mel, em 2006, Carignola decidiu que era hora de
retomar o antigo sonho. Após transferir seu negócio para o comando de parentes,
Henrique passou a tocar, ao lado da esposa, uma pequena pousada em Saquarema. “Eu
não poderia ter feito coisa melhor. Hoje vivo surf praticamente 24 horas por
dia. E Saquarema é o lugar ideal para pessoas como eu”, afirma.

O exemplo do paulistano parece ter feito escola. Dois anos após trocar a selva
de pedras pelo sol e pela brisa de Saquarema, Henrique convenceu um amigo a
também se mudar para a cidade e começar uma vida nova, tendo o surf como
norteador. Henrique e o professor de idiomas Franco Esposito começaram a surfar
juntos e dividiam o desejo de viver em um lugar que permitisse pegar umas boas
ondas antes, depois e até mesmo durante o expediente.

Nascido em Itu, interior
de São Paulo, Franco hoje ajuda o companheiro de ondas a tocar sua pousada,
além de dar aulas de inglês para nativos e de português para estrangeiros. “Quem
leva o surf a sério, como nós, precisa morar em um lugar como Saquarema. Aqui
todos os dias chegam surfistas vindos de Estados e países diferentes, algo
fundamental para a troca de experiências e atualizações sobre o esporte. Sem
falar nas belezas naturais e nas ótimas ondas que a cidade oferece”, finaliza.

Sem mais artigos