<br>
Carlos Augusto Montenegro, ex-vice de futebol do Botafogo, continua com sua língua afiada. Desta vez, sua metralhadora mirou o atacante Dodô, atualmente no Fluminense. "É uma pena que no fim da carreira ele esteja fechando seu ciclo de forma melancólica", disparou o dirigente.

As palavras de Montenegro são uma resposta a um fato curioso que aconteceu no último domingo, na vitória do Flu em cima do Volta Redonda. Aos 22 do primeiro tempo, o atacante perdeu uma chance de gol e desabafou para um radialista que estava perto: "Isso deve ser praga de botafoguense."

Ao final da partida, o jornalista foi saber de Dodô o que seria essa "praga". "Tem coisas que a gente não comenta aqui, depois. Na hora do jogo a gente fica tenso, é normal", justificou, sem graça, o artilheiro.

Montenegro, ao contrário de Dodô, não achou normal o que o jogador disse. "O único clube no qual ele aconteceu no futebol foi o Botafogo", continuou o dirigente, lembrando a temporada 2007 do atacante em General Severiano.

Para o dirigente, Dodô vive "um fim de carreira melancólico" e aponta o motivo disso. "Primeiro eu até lamentei a saída dele. Mas acho que o Dodô está sendo ingrato com o Botafogo desde a sua saída. Por isso está vivendo um fim de carreira melancólico", finalizou ele.

<b>LEIA TAMBÉM:</b> <a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=23358>Médico diz que lesão de Thiago Neves não é grave</a>

Sem mais artigos