Campeão olímpico em Atenas 2004, Nalbert comentou sobre o trabalho do técnico Bernardinho na seleção brasileira de vôlei em entrevista ao programa “De Frente com Gabi”. Segundo o ex-jogador, o treinador é mesmo “maluco” e esse jeito ajuda o time nacional.

“Ele não é chato, é maluco mesmo, mas essas maluquices eram um ponto a mais para a equipe”, disse Nalbert.

Na mesma entrevista, o ex-atleta falou sobre a dificuldade que foi ser cortado das Olimpíadas de Pequim em 2008.

“Depois do falecimento do meu pai, ser cortado da seleção em 2008 foi o pior momento da minha vida”, afirmou.

Nalbert ainda comentou sobre a sua aposentadoria. Apesar de admitir que parar de jogar é igual a “morrer”, o atleta acredita que abandonou as quadras na hora certa.

“Eu poderia estar jogando até hoje, mas não queria entrar para aquele grupo de atletas que jogam se arrastando”, falou Nalbert. “Hoje ainda não penso em virar técnico”, completou.

Sem mais artigos