<b><i>Por Patrícia Teixeira*</i></b>

Sexta-feira, o mundo se envolverá com a abertura dos Jogos Olímpicos. Por aproximadamente 20 dias, o futebol deixará de ser a atração principal e passará a bola para outras modalidades pouco divulgadas e que têm atletas brilhantes. Falar de olimpíada não se trata somente de trazer uma medalha para casa. É muito mais que isso. Poucas pessoas percebem o efeito, mas ninguém nega que dá vontade de dar aqueles saltos maravilhosos da Daiane dos Santos e Danielle Hypólito. Quem não quer experimentar a sensação de rodopiar pelo ar como se tivesse voando com o próprio efeito do corpo.

Sem números precisos e comprovados, a verdade é que depois do boom da ginástica olímpica, as crianças adotaram a modalidade na disciplina. Realidade parecida foi a explosão do vôlei nas décadas de 80 e 90, onde crianças, adolescentes e adultos aderiram a modalidade como lazer ou atividade física. Outro exemplo é o crescimento do atletismo. Correr virou uma moda sadia. Para esses anônimos que disputam pequenas provas, a medalha de ouro conquistada é saber que venceu o próprio limite.

A explosão de cada modalidade deve-se ao efeito da televisão. Quando assistimos a tevê, temos sempre um pouquinho da vontade de experimentar a sensação. É como se entrássemos no mundo do atleta e sentíssemos as vibrações, as dores e o gostinho da vitória. A televisão é um espelho e o telespectador vê o esportista como exemplo e referência. Conheço muitos sedentários que abandonaram a preguiça e buscaram um esporte depois de ver alguém na tevê praticando. A pessoa não percebe o efeito, mas o subconsciente registra a sensação e quer provar daquele doce.

Quer outro exemplo de que a tevê é um estimulante para a prática do esporte. Lembra há 6 anos aproximadamente quando o tênis explodiu? Jogar tênis era elitizado e, de repente, todos entraram na era Guga. Ah! O grande tenista Gustavo Kuerten também foi responsável por isso. Ele se tornou um ídolo e o surgimento de alguém para se espelhar, principalmente quando é um exemplo de determinação, ajuda na grandeza e evolução do esporte.

Você que está buscando uma modalidade esportiva para praticar e não sabe qual ainda, aceite essa dica: assista ao máximo das Olimpíadas e preste atenção na reação que você tem ao ver cada competição. Perceba se você tem a vontade de estar no lugar do atleta e se entra no espírito da prova. Seja qual for a modalidade que você se identificar, não deixe para depois a iniciativa de buscar informações detalhadas e não perca tempo: busque onde praticar e faça uma aula gratuita. É o seu primeiro passo rumo à qualidade de vida.

<i>*Patrícia Teixeira é jornalista, esportista e escreve sobre qualidade de vida.</i>

Sem mais artigos