O técnico da seleção brasileira, Dunga, não quis dar o braço a torcer e reconhecer que o até então jamais convocado por ele, Luís Fabiano, foi o grande responsável pela vitória por 2 a 1 sobre o Uruguai, quarta-feira, no Morumbi. Marcou os dois gols da seleção e não recebeu um único elogio. "Vocês lembram que o Luis Fabiano marcou oito gols (pela seleção, em 14 jogos), mas o Afonso marcou sete em um jogo só", disse o treinador durante a entrevista coletiva que deu nesta quinta-feira de manhã.

O que Dunga não quis lembrar foi que Afonso marcou sete gols num fraco jogo do campeonato holandês (Heerenveen, seu time, 9 x 0 Heracles) e que, na seleção, seu desempenho tem sido para lá de decepcionante, com apenas um gol marcado em oito jogos. “Ninguém tinha dúvida da qualidade do Luis Fabiano, assim como ninguém duvida da capacidade de um Afonso, um Vagner Love ou um Liedson”, comentou o treinador, pra lá de mal-humorado durante toda a entrevista.

Entre uma e outra resposta atravessada aos jornalistas que compareceram ao Hotel Transamérica, em São Paulo, Dunga não descartou voltar a convocar o veterano Ronaldo, mas antes… “Ele primeiro tem de ser titular no Milan. Para ser convocado, inicialmente o atleta tem de estar bem no seu clube.”

O técnico da seleção chegou a reclamar das constantes críticas feitas à seleção e disse que “não é tão simples escalar a equipe”, como muitos achariam. Segundo ele, costumam chamá-lo de mal-humorado injustamente. “Quando eu não respondo a uma pergunta do jeito que o repórter quer, ele não aceita e me critica”, desabafou.

Em vez de elogiar Luís Fabiano, Dunga lembra de Afonso

Sem mais artigos