<br>A disputa pela escolha do local da segunda partida das semifinais, entre Palmeiras e São Paulo, continua intensa nos bastidores. Enquanto as equipes se preparam para o jogo deste domingo, no Morumbi, as diretorias ainda não chegaram a um acordo sobre qual estádio irá abrigar a partida decisiva, e as discussões sobre o assunto não devem cessar, pelo menos até a tarde de hoje, na Federação Paulista de Futebol (FPF).

Os dirigentes alviverdes acreditam ser muita injustiça ter de aceitar jogar duas vezes no estádio do Tricolor, visto que o Verdão realizou uma campanha melhor na primeira fase. Segundo a diretoria do Palmeiras, seria como "tomar um chapéu do São Paulo e ser humilhado sem merecimento". Para evitar o segundo jogo no Morumbi, que é a vontade do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, os comandantes palestrinos já tentam viabilizar o laudo para mandar a partida em Ribeirão Preto, no Estádio Santa Cruz.

A iniciativa de tirar o jogo final da capital não agrada Marco Polo, que já pensa até em rever sua decisão sobre o veto ao Palestra Itália. Porém, com a posição negativa da Polícia Militar sobre esse assunto, isso não deve acontecer. Além do estádio do Botagofo de Riberião Preto, outra equipe do interior manifestou a intenção de ceder seu campo para o Palmerias mandar seu jogo: o América de São José do Rio Preto, quer disponibilizar o Teixeirão e levar a semifinal para Rio Preto.

<b>LEIA TAMBÉM:</b>
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=24647>SP: Federação recebe documento que veta Palestra Itália</a>

Sem mais artigos