Os Estados Unidos emitiram no início deste final de semana um novo alerta para os cidadãos americanos que decidirem ir para a Rússia por ocasião dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, que foram abertos oficialmente neste sábado (08), devido às ameaças terroristas que pairam sobre o evento e com novas informações sobre os requisitos de identificação para garantir a segurança.

Este último alerta, que expira no dia 24 de março, substitui o do dia 24 de janeiro e responde às novas ameaças terroristas sobre o evento que foram divulgadas nas últimas semanas.

O Departamento de Estado dos EUA inclui nesta ocasião as ultimas novidades sobre segurança aérea em relação com os Jogos, com a proibição por parte das autoridades russas e americanas de levar qualquer tipo de líquido na bagagem de mão dos voos com destino a lugares próximos da competição.

A guerrilha islâmica do Cáucaso e outros grupos extremistas vêm ameaçando os Jogos há meses, com mensagens que se intensificaram nas últimas semanas.

Os EUA ofereceram várias vezes sua colaboração à Rússia, sobretudo depois dos dois atentados suicidas que causaram a morte de 30 pessoas no final de 2013 na cidade de Volgogrado, também no sul do país.

Em sua descrição das ameaças terroristas, o Departamento de Estado menciona as notícias veiculadas na imprensa sobre a eventual presença de terroristas suicidas conhecidas como “viúvas negras” em Sochi.

Além disso, cita um vídeo divulgado recentemente no qual um grupo terrorista islâmico adverte que haverá um “presente para os turistas” na cidade-sede durante a competição.

No alerta emitido hoje, o Departamento de Estado recomenda aos cidadãos que forem à Rússia que “cuidem de sua segurança pessoal o tempo todo, permaneçam alertas e sejam prudentes quando forem utilizar qualquer tipo de transporte público”.

“Os Jogos são um alvo atrativo para os terroristas e, além disso, continuam ocorrendo na Rússia atos de terrorismo. Não há nenhuma ameaça específica contra os EUA, nem contra suas instituições e cidadãos, mas os cidadãos que forem a Sochi devem ficar atentos e ter precaução”, acrescentou o alerta.

O Departamento de Estado também lembrou hoje que os Jogos Olímpicos de Inverno são o primeiro grande evento internacional na cidade de Sochi e que a capacidade da infraestrutura médica da cidade nunca foi testada para atender um volume tão grande de visitantes.

Por isso, os EUA recomendaram que seus cidadãos considerassem a aquisição de um seguro privado, levando-se em conta que o atendimento médico em muitas localidades russas “difere dos padrões ocidentais”.

O alerta de viagem lembrou, além disso, que na Rússia está proibida “a propaganda e as relações sexuais não tradicionais” para os menores de idade, uma referência às polêmicas leis anti-gays recentemente aprovadas no país.

Sem mais artigos