Um fantasma está assustando a província argentina de Mendoza, em cuja capital (que leva o mesmo nome) ocorrerão três jogos do Grupo C da Copa América e uma das semifinais da principal competição de seleções da América do Sul. As seleções que passarem pelo local serão notificadas da existência de pelo menos 50 casos da gripe A (H1N1), a popular gripe suína, sendo um deles fatal, e pedirá que colaborem na prevenção da doença.

“Mandaremos uma notificação a cada cônsul dos países que venham para a Copa, com algumas medidas de prevenção”, disse o subsecretário de Saúde da província, Enrique Quesada, em declarações publicadas pelo jornal “El Sol”, de Mendoza. A seleção brasileira pode, passando na primeira ou segunda posições do grupo B, fazer a semifinal na cidade. Na primeira fase, a capital provincial receberá partidas envolvendo Uruguai, Peru, México e Chile.

O subsecretário esclareceu a decisão adotada pelas autoridades da província não é para alarmar a população, mas é sim uma tentativa de que haja uma tomada de consciência sobre a circulação do vírus da gripe A(H1N1) no local. Quesada revelou também que mandará informações às delegações sobre as formas de evitar o contágio e que pedirá que todos sejam vacinados antes de chegarem à Mendoza.

Nesta quarta-feira, o governo da província, situada no oeste da Argentina e vizinha ao Chile, confirmou um surto da doença, com uma mulher morta e 54 infectados. Em 2009, a gripe A causou no país mais de 500 mortes, contaminou mais de 10 mil pessoas e obrigou a suspensão de aulas em escolas e universidades, assim como todo tipo de atividades públicas e culturais em 17 das 23 províncias.

Sem mais artigos