A Associação de Futebol Argentina (AFA) decidirá nesta terça-feira se Diego Maradona continua à frente da seleção nacional, informou hoje o porta-voz da federação, Ernesto Cherquis Bialo.

“Teremos, provavelmente amanhã à noite, alguma informação a oferecer”, afirmou o porta-voz da entidade após informar que Maradona se reuniu hoje durante duas horas com o presidente da AFA, Julio Grondona, que apresentará amanhã um relatório ao comitê executivo da federação.

Ao se despedir após o encontro, Grondona disse a Maradona que nesta terça-feira, depois de apresentado o balanço da reunião aos membros do comitê, vão contar o resultado, disse Cherquis ao canal a cabo “TyC Sports”.

Maradona não quis falar com a imprensa hoje, mas afirmou no domingo que tem “vontade de continuar” no cargo com a condição de manter a atual equipe de colaboradores.

“Seguir significa tomar o comando e com as pessoas que eu quero. Se tocarem em alguém, vou embora”, declarou ao canal local “América”, em meio aos rumores de que a AFA é contra a continuidade de alguns colaboradores do treinador.

Segundo a imprensa local, o resultado do encontro de hoje teria sido negativo porque Maradona não está disposto a perder seus mais estreitos colaboradores, condição que Grondona teria colocado para que siga à frente da seleção.

“O resultado (da reunião) vai depender do que ele quiser e do que ele aceitar do que eu lhe pedir”, explicou ontem o técnico.

Cherquis disse há poucos dias que, “tecnicamente”, o contrato de Maradona terminou na partida contra Alemanha, nas quartas de final da Copa do Mundo, quando a Argentina foi eliminada, mas que a continuidade do técnico dependeria exclusivamente dele.

Porta-vozes da federação argentina deixaram escapar para a imprensa que Grondona está irritado com a demora para definir a situação de Maradona, já que a Argentina tem um amistoso com a Irlanda no próximo dia 11, em Dublin, e outro com a Espanha, no dia 7 de setembro, em Buenos Aires.

O técnico retornou neste sábado de Caracas, onde esteve com o presidente venezuelano, Hugo Chávez, viagem que causou o adiamento da reunião que teria com Grondona na semana passada.

Sem mais artigos