Na coletiva durante e convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo nesta quarta-feira (07), o técnico Luis Felipe Scolari foi questionado se pensa muito em seleções também cotadas como favoritas ao lado do Brasil, como Alemanha e Espanha. O comandante, como de costume, foi incisivo na resposta e rejeitou escolher “um” rival para a glória máxima, que é ganhar o Mundial

“A grande seleção a ser derrotada é a Croácia. É o primeiro passo que temos que dar. Depois, é passo a passo para chegar na decisão e a nós não interessa quem serão os oponentes. Para chegar mais a frente não tem que escolher rival”, disse, citando o jogo de estreia da Copa, dia 12 de junho, na Arena Corinthians.

Depois, Felipão lembrou da campanha pré-Copa das Confederações, quando o time não se apresentou bem contra países tradicionais, como nos empates com Inglaterra e Itália.

“Antes de jogarmos a Copa das Confederações tínhamos jogado contra boas equipes, mas sem bons resultados. Mas, durante o torneio, conseguimos que o público confiasse nas nossas atuações e conseguimos ser campeões”, frisou.

Sem mais artigos