Na reedição da final da Liga dos Campeões 2011/2012, o Bayern de Munique conseguiu nesta sexta-feira (30) se vingar da derrota sofrida para o Chelsea há 15 meses, ficando com o título da Supercopa da Europa com uma vitória por 5 a 4 nos pênaltis após empate no tempo normal e na prorrogação.

A decisão foi um novo confronto entre ingleses e alemães pouco mais de um ano depois de os Blues terem batido a equipe bávara em plena Allianz Arena, e também um reencontro dos técnicos José Mourinho e Josep Guardiola, rivais desde os tempos em que comandavam Real Madrid e Barcelona.

Fernando Torres, para o Chelsea, e Ribéry, para o Bayern de Munique, fizeram os gols do empate em 1 a 1 no tempo normal. Na prorrogação, mesmo com um a menos, depois da expulsão de Ramires, o clube londrino saiu em vantagem quando Hazard balançou a rede. Porém, no último minuto, Javi Martínez marcou e provocou a disputa de penalidades.

Todos os nove primeiros batedores, incluindo os brasileiros David Luiz e Oscar, que abriram a série dos Blues, converteram suas cobranças. Na última da equipe inglesa, Lukaku parou no goleiro Neuer.

De quebra, Guardiola desempatou em 2 a 1 seu placar pessoal de finais contra Mourinho. Antes, o espanhol havia perdido a Copa do Rei de 2011 pelo Barça, mas dado o troco na Supercopa da Espanha do mesmo ano.

O Bayern de Munique, que disputou a Supercopa por ter vencido a Liga dos Campeões, teve apenas um desfalque, o meia Thiago Alcântara, que vem sendo escalado como volante por Guardiola. Com isso, Lahm foi deslocado para o meio de campo, e Rafinha ocupou a lateral direita. O outro brasileiro do elenco, o zagueiro Dante, também foi titular.

Já o Chelsea, campeão da Liga Europa, teve equipe completa e optou por formar a zaga com David Luiz, recuperado de lesão, e Cahill, com Terry entre os reservas. Os meias Ramires e Oscar também estiveram em campo desde o pontapé inicial.

A primeira grande jogada de perigo foi criada pelo Bayern de Munique, logo aos seis minutos de partida. Müller tocou para Ribéry. Com espaço, o francês, eleito na quinta-feira melhor jogador do futebol europeu, finalizou muito mal, à esquerda da meta.

A resposta do Chelsea foi dada – e muito bem – um minuto depois. Hazard puxou o contra-ataque e abriu na direita com Schürrle, que cruzou para o meio da área. Bem posicionado, Torres completou para a rede e fez 1 a 0.

O Bayern tinha mais a bola, mas dava espaço para os contragolpes da equipe londrina. Aos 16, Torres foi acionado na esquerda e chutou à direita do gol.

Com dificuldades para se infiltrar no forte sistema defensivo adversário, a equipe alemã voltou a incomodar aos 21 minutos. Ribéry tabelou com Mandzukic e bateu colocado no canto esquerdo, mas Cech se esticou todo e evitou o empate. Aos 28, o meia francês preferiu avançar sozinho, passou por Ramires e arrematou para fora.

Mais retraído, o Chelsea tentava não se deixar pressionar, e para isso contava com Torres, bastante efetivo no jogo. Depois de mais um cruzamento de Schürrle, o centroavante dominou e girou bem, mas encobriu o travessão, aos 30 minutos.

Trocando passes, o time bávaro continuava criando, mas pecava nas finalizações. Ribéry e Müller tiveram oportunidades para igualar respectivamente aos 35 e aos 37, mas o francês bateu para fora, e o alemão carimbou a marcação.

O domínio do Bayern dos momentos finais do primeiro tempo foi mantido depois do intervalo e rapidamente se converteu em gol. Logo aos dois minutos, Ribéry recebeu de Kroos na esquerda, levou para o meio e encheu o pé de fora da área. Cech pulou atrasado e não alcançou.

O próprio meia poderia ter virado o placar um minuto depois. Ele aproveitou cruzamento de Müller e pegou bonito de primeira, mas mandou à esquerda da meta. Aos nove, o camisa 7 atacou de garçom e, em cobrança de falta ensaiada, serviu Robben, que também chutou sem ajeitar e viu a bola passar por cima do travessão.

Aos 18 minutos, dois brasileiros protagonizaram uma sucessão de falhas. Dante escorregou na frente de Schürrle, que cruzou rasteiro para Oscar. Cara a cara, o meia se enrolou para concluir e acertou Neuer. Na sobra, Lampard bateu por cima.

Para completar a sequência ruim para jogadores da seleção brasileira, Ramires e David Luiz receberam cartão amarelo em seguida, aos 20 e aos 22 minutos.

Depois de algum tempo sem aparecerem bem no ataque, os Blues assustaram duas vezes, aos 23 e aos 24, mas Hazard e Ramires pararam em Neuer. Era o Bayern que se colocava mais no ataque, mas o Chelsea é que parecia mais perto do gol, e Ivanovic acertou o travessão em cabeçada após escanteio cobrado por Lampard.

O momento de superioridade do time inglês na partida, que teve ainda um bom cabeceio de David Luiz aos 39, poderia ter sido comprometido aos 40, quando Ramires entrou por cima de Götze, recebeu o segundo amarelo e foi expulso.

Porém, mesmo com um a menos, o Chelsea voltou a ficar em vantagem no placar aos dois minutos do primeiro tempo da prorrogação. A defesa do Bayern ficou apenas olhando, Hazard passou por dois e chutou forte no canto direito.

Com um homem a mais e perdendo, a equipe alemã não teve outra opção a não ser ir para cima, mas o Chelsea se virava com dez e marcava bem. Aos nove, Ribéry conseguiu a escapar pela direita e cruzou. Mandzukic ajeitou e, na sobra, Shaqiri chutou perigosamente à direita.

Na segunda etapa, ia brilhando a estrela de Petr Cech. Aos três minutos da segunda etapa, Mandzukic e depois Martínez tentaram de cabeça, e o goleiro defendeu bem nas duas. Seis minutos depois, Götze finalizou por baixo e o camisa 1 salvou com os pés.

Mais um milagre foi operado por Cech aos 12, em cobrança de falta de Ribéry. Porém, aos 16, o tcheco não conseguiu evitar a disputa de pênalti. Alaba colocou na área e, após grande confusão, Dante ajeitou sem querer e Javi Martínez, que substituiu Rafinha no tempo normal, aproveitou para fazer 2 a 2.

Ficha técnica:

Bayern de Munique: Neuer; Rafinha (Javi Martínez), Boateng, Dante e Alaba; Lahm e Kroos; Robben (Shaqiri), Müller (Götze) e Ribéry; Mandzukic. Técnico: Josep Guardiola.

Chelsea: Cech; Ivanovic, Cahill, David Luiz e Cole; Ramires e Lampard; Oscar, Schürrle (Mikel) e Hazard (Terry); Torres (Lukaku). Técnico: José Mourinho.

Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia), auxiliado por seus compatriotas Mathias Klasenius e Daniel Wärnmark.

Cartões amarelos: Ribéry (Bayern); Cahill, Ramires, David Luiz, Fernando Torres, Lukaku e Ashley Cole (Chelsea).

Gols: Ribéry e Javi Martínez (Bayern); Fernando Torres e Hazard (Chelsea).

Pênaltis: Bayern: Alaba, Kroos, Lahm, Ribéry e Shaqiri converteram; Chelsea: David Luiz, Oscar, Lampard e Ashley Cole converteram – Lukaku errou. EFE

Estádio: Eden Arena, em Praga.

Sem mais artigos