Autor do gol da vitória por 1 a 0 sobre o Chelsea em Yokohama neste domingo (16), que deu ao Corinthians o título de bicampeão mundial de clubes, o atacante peruano Paolo Guerrero revelou ter “previsto” o que aconteceu no Japão e destacou que valoriza mais a conquista coletiva que os feitos individuais.

“Atacante deve sonhar com essas coisas. Sonhei que ganharíamos o título e que eu faria o gol. Não poderia falar antes de conseguir o objetivo, isso só se fala depois”, declarou o camisa 9 do Timão.

Guerrero fez os dois gols do Corinthians no Mundial, contra o Al Ahly e contra o Chelsea, e foi eleito Bola de Bronze da competição – a prata ficou com o zagueiro David Luiz, e o ouro, com o goleiro Cássio.

“Conseguimos ganhar. Ainda que eu tenha marcado dois gols, o mérito foi de todo o grupo, que jogou muito bem nas duas partidas. O sacrifício foi o máximo, e agora estou muito feliz por termos conquistado o título”, comentou o centroavante, que por muito tempo foi dúvida para o Mundial devido a uma lesão no joelho direito.

O peruano destacou ainda a dificuldade de enfrentar o Chelsea. Segundo ele, foi importante para o Timão não superestimar o adversário e confiar na própria força. “O Chelsea é uma equipe dura e difícil, é o último campeão da ‘Champions League’. Sabíamos o jogo que nos esperava, mas confiamos em nós, sabíamos da qualidade que nosso grupo tem e por isso merecemos que o trabalho de hoje terminasse com uma vitória. Graças a Deus conseguimos este título”, comemorou.

Guerrero revela ter sonhado com gol e título e minimiza feitos individuais

Sem mais artigos