O segundo dia do Tênis Espetacular, no Ginásio do Ibirapuera, teve a estréia de Guga no torneio-exibição. O jogo do brasileiro foi às 21h, contra Zabaleta -que já havia somado um ponto com a vitória sobre Sá, na última quarta-feira-, e valia a permanência de Guga no evento, isso porque, se o argentino vencesse somaria dois pontos, e Guga e Sá não conseguiriam alcançá-lo.

O Ginásio estava lotado, crianças se amontoavam na grade que protegia a quadra e gritavam, "Guga, Guga", disputando as atenções do ídolo. Entre os VIPS, Vanessa Menga e Aurélio Miguel assistiam o tenista. E Kuerten correspondeu, atropelou Zabaleta em dois sets, com parciais de 6/4 e 6/3.

Guga disse que depois da lesão no quadril, que insite em incomodá-lo, seu jogo depende muito de seu saque e que achava bom que o jogo tivesse sido definido em dois sets. "Hoje, tenho que definir o ponto rápido, evitar de me mexer para não sentir dor. Mas em uma situação como essa, a energia que o público passa acaba fazendo você jogar motivado e deixar as dificuldades de lado", conta.

Sobre a próxima partida, contra o brasileiro André Sá, Guga afirmou que a partida será um misto de festa e competição. "Amanhã, se eu e ele (Sá) conseguirmos jogar bem, toda a torcida vai participar. Independente do resultado, espero que possamos fazer um bom espetáculo".

"Preciso ganhar um set contra o Sá para chegar à final. Acho que se eu for para a decisão, o Chela é o favorito para brigar comigo pelo título. Hoje ele foi bem contra o Saretta e vai pegar o Gaudio motivado. O mais importante é que pelo menos um brasileiro faça a final, o Zabaleta não tem mais chances", disse otimista.

Sem mais artigos