Os jogadores de handebol do Montpellier detidos no último domingo por conta de uma investigação por apostas ilegais e manipulação de resultados, com o campeão olímpico Nicola Karabatic entre eles, foram indiciados nesta terça-feira por fraude.

Os outros acusados são Luka Karabatic, irmão do melhor jogador do mundo, além do goleiro da equipe Primoz Prost, e de Samuel Honrubia e o sérvio Mladen Bojinovic, que foram contratados no fim da última temporada pelo Paris Saint-Germain. Também foram acusadas as esposas dos irmãos Karabatic.

Segundo o advogado de Nicola Karabatic, o jogador negou ter participado das apostas, ao contrário dos outros acusados, que reconheceram ter apostado que o Montpellier, na época já garantido com campeão francês, estaria sendo derrotado no intervalo da partida contra o Cesson-Sévigné, em 12 de maio deste ano.

Todos negaram ter entregado a partida, um delito que pode ser punido até com cinco anos de prisão e 75 mil euros de multa.

Junto a eles, também foram acusados um dono de uma casa de apostas em Montpellier, que os investigadores consideram como o mandante das apostas dos atletas e que, segundo a Polícia, apostou mais de 25 mil euros nesse jogo. Outros três apostadores também foram acusados no caso.

Os advogados dos acusados disseram que os jogadores reconhecem ter apostado, mas negam a “entregada” do jogo. O representante dos irmãos Karabatic se mostrou taxativo e lembrou que nenhum de seus dois clientes participou daquele encontro, porque estavam lesionados.

“Que alguém me explique como se pode entregar uma partida na qual não se joga”, afirmou o advogado de Karabatic, Eric Dupond-Moretti.

No entanto, a Promotoria de Montpellier mantém a investigação para determinar se a partida foi manipulada e afirmou ter indícios da existência de um “pacto de corrupção” entre os jogadores.
Todos os acusados, que haviam passado duas noites na delegacia após suas detenções no domingo passado em Paris, foram colocados em liberdade após pagarem fiança.

Os juízes os impuseram outras medidas cautelares, como a proibição de se comunicarem entre si, o que os impedirá de jogar juntos.
A investigação foi iniciada após a organização estatal de apostas da França detectar um nível elevado de apostas sobre o resultado durante o intervalo de Montpellier e Cesson-Sévigné, disputado após a conquista do nono campeonato do Montpellier nos últimos dez anos.
“Era o jogo ideal para apostar”, declarou o promotor Brice Robin, que revelou que os jogadores conseguiram lucro de 252.880 euros, após terem concentrado suas apostas em agências de Montpellier, Paris e Rennes, onde duelo foi disputado.

Jogadores de handebol presos no domingo são indiciados por fraude na França

Sem mais artigos