A Uefa, federação europeia de futebol, anunciou no último mês de janeiro mudanças que incluem 13 cidades-sede para a Euro 2020, o campeonato continental de seleções. Isso coloca em questão a probabilidade de haver mais do que uma ou duas sedes, como sempre foi feita a competição. Em notícia divulgada pelo site do jornal The Sun nesta quinta-feira (14), o presidente da Fifa, Joseph Blatter, critica a alteração e também o rumo que tem tomado Michel Platini, que preside a Uefa.

“O torneio deve ser jogado em um país. É assim que você cria identidade e euforia. Eles fragmentaram a Euro 2020. Então isso não é mais um campeonato europeu”, bombardeou Blatter.

Complementando o seu discurso, o chefão do futebol mundial diz que o torneio que acontecerá daqui a sete anos deveria ter até outro nome: “Uma Euro assim tem falta de coração e alma”.

Os planos colocam 12 cidades abrigando toda a primeira fase e as seguintes, e mais uma décima terceira, que vai acolher os dois jogos da semifinal e a grande final.

Platini é visto como o mais provável sucessor de Blatter na presidência da Fifa, assim que o suíço deixar o cargo, possivelmente em 2015.

“Ele tem uma ideia sobre o futuro da Fifa a qual ele tem que explicar para os continentes em algum momento. Mas ele ainda não se decidiu”, cutucou Blatter.

 

Sem mais artigos