<br>Só na temporada 2008, o goleiro Marcos realizou 14 partidas. Uma quantidade de jogos maior do que nos dois anos anteriores. Em sua plenitude técnica e física, o arqueiro não esconde a felicidade pelo momento que está vivendo.

“Estou me sentindo um garoto. Fiquei tanto tempo fora que estava sentindo falta desse ritmo de jogos, de decisão, de concentração. Evitava ir em programas esportivos, pois estava sendo tratado como um ex-jogador. Isso machucava. Pensei muita coisa negativa. Mas graças a Deus tudo mudou. É uma nova vida para mim. E dentro do projeto que eu tinha na cabeça, está tudo dando certo”, declarou.

O camisa 12, no entanto, afirma que ainda tem que melhorar muito pra chegar ao nível de antes. "Sei que o que eu fiz até agora em 2008 não chega nem perto de tudo o que eu já conquistei. Mas por tudo o que eu passei nos últimos anos, é um recomeço positivo."

O pentacampeão se mostra feliz com a torcida alviverde, que está em festa graças a temporada do Palmeiras. “A torcida está empolgada, pois fazia tempo que não via um time tão competitivo, que hoje encara de igual para igual qualquer adversário.Ainda não conquistamos nada. Só garantimos uma classificação e nada mais. Estamos cientes disso”, afirmou o arqueiro.

Mesmo com a série invicta, o Palmeiras não é favorito na opinião de Marcos. "Vocês sabem que não existe favorito em clássico. A história do futebol diz isso. Dentro de jogo é preciso estar sempre concentrado e preparado para tudo, ainda mais numa partida em que estão dois clubes de muita tradição”, ressaltou.

Marcos aproveitou para elogiar o goleiro são paulino, Rogério Ceni, com quem tem uma boa relação."O tempo não nos permite um contato mais próximo. Mas tenho um respeito enorme por ele. O Ceni me ajudou muito na Copa do Mundo de 2002”.

<b>LEIA TAMBÉM:</b>
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=24620>Exclusivo: o motivo da briga entre Fábio Santos e Carlos Alberto</a>

Sem mais artigos