<br> Melhor brasileiro no ranking de duplas da ATP, a recente revelação do tênis brasileiro, Marcelo Melo, foi pego no exame antidoping do ATP de Queen’s pelo uso da substância proibida Isometepteno, encontrada no medicamento Neosaldina. A punição foi o que deixou Melo fora da disputa contra a Áustria pela Copa Davis, em que formaria dupla com André Sá. Além de perder os pontos e a premiação conquistados em Queen’s e no US Open, Melo ficará sem jogar até o dia 9 de novembro. O parceiro de Melo, André Sá, não será atingido pelas punições.

Segundo sua assessoria, o tenista teria tomado o medicamento no dia 9 de junho, noite anterior de seu último jogo pela fase classificatória. O Isometepteno pertence à classe S6 de substância proibidas pela ITF por agir como estimulante.

“Nunca imaginei que a Neosaldina fosse um medicamento proibido. Tomei por estar com dor-de-cabeça e acabei tomando essa punição por não saber que a Neosaldina contém uma substância que está na lista de componentes proibidos da ITF. Foi uma infelicidade, justamente no melhor momento da minha carreira”, lamenta o tenista.

<b>Apelo ajuda, mas não resolve</b>

O apelo de que teria tomado o remédio sem conhecimento da substância, feito pelo tenista junto à ITF, convenceu os dirigentes, que aplicaram uma pena mais branda ao tenista, que normalmente é de um ano de suspensão.

O tenista lembra que essa foi a primeira vez que uma punição dessas aconteceu em sua carreira.

“Jamais tomei algum tipo de suplemento, ou qualquer outra substância que fosse me favorecer ou que fosse infringir o fair-play do esporte”, finaliza Melo.

<b>Veja também:
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=21203>Áustria faz 4 a 1 no Brasil e rebaixa time na Davis!</a>

Melhor brasileiro nas duplas é pego no antidoping

Sem mais artigos