Angra dos Reis, na Costa Verde fluminense, e não há quem diga o contrário, é um dos melhores lugares para se mergulhar no país, e por isso, é também um dos principais destinos turísticos dos aventureiros submarinos. São dezenas de opções de locais para contemplar a natureza marinha, centenas de espécies de animais – muitos em extinção –,  ilhas de beleza inquestionável e que servem a praticantes de vários níveis de instrução técnica. É possível mergulhar sozinho, de mãos dadas com um instrutor, com ou sem snorkel e nadadeiras, em apnéia ou ainda com equipamentos sofisticados e específicos para longos percursos. Em Angra, a temperatura da água fica em torno dos 23°C, e além da fauna exuberante, há até navios naufragados para serem explorados pelos mergulhadores.

A paisagem submarina inclui verdadeiros labirintos de pedras, parcéis (caminhos de pedras sobrepostas), anêmonas, corais, esponjas. Os naufrágios são concorridíssimos. Entre eles, o Bezerra de Menezes, movido a vapor, naufragado em 1891, é um dos preferidos de quem se aventura debaixo d’água. Os destroços incluem a proa, âncora, parte do casco, câmara de condensação do vapor, o leme e partes da quilha.

Além do Bezerra, há ainda o Pinguino, um navio cargueiro que afundou em 1967, a caminho de Buenos Aires – após um incêndio de grandes proporções. Em Ilha Grande, até hoje se conta a história de que o Pinguino carregava uma grande carga de sandálias de borracha americanas, que foram usadas pelos moradores durante muitos anos. No mergulho, não há vestígios de sandálias, claro, mas é possível ver e tocar a sala de máquinas, a cabine de comando, janelas de navegação, entre outros destroços bastante “conservados”. E além destes dois, há ainda o Califórnia, embarcação brasileira que teria sido atacada por piratas e incendiada, em 1866, e um helicóptero afundado na área conhecida como Laje de Matariz.

A prática do mergulho em Angra dos Reis é tão comum que há dezenas de centros dedicados ao esporte, oferecendo cursos e saídas aos visitantes, em lanchas, catamarãs etc. As opções de passeio são inúmeras, já que a região possui nada menos que 365 ilhas, oito baías e cerca de 2 mil praias – todas de águas claras, transparentes, azul-esverdeadas. As Ilhas Sandri, Comprida, do Brandão, do Papagaio, das Cobras, Botinas, Queimada, dos Porcos, Redonda e Josefa são algumas das mais procuradas pelos praticantes de mergulho. A visibilidade nas águas chega a 40 metros de pronfundidade.

Mergulho em Angra dos Reis revela paisagem submarina que inclui navios naufragados

Sem mais artigos