Ministério Público Federal em Santos divulgou nesta quarta-feira (29) que requisitou à Receita Federal informações sobre a empresa do pai de Neymar, a partir da abertura de investigação da Procuradoria da República na cidade, para apurar eventual crime contra a ordem tributária na transferência do atacante.

A solicitação foi feita a partir do surgimento de informações divergentes sobre o real valor da negociação conduzida pela N&N Consultoria Esportiva e Empresarial Ltda, que pertence ao pai do atleta, Neymar da Silva Santos. A Procuradoria estuda ainda requisitar informações ao Ministério Público da Espanha sobre a investigação que está sendo realizada no país.

Este é o segundo pedido feito pelo MPF á Receita, mas anteriormente, não foi possível, de forma consistente, esclarecer por completo a questão fiscal da empresa, mas dados fornecidos pela Fazenda Nacional indicariam a existência de débitos tributários.

Nas informações já recebidas pelo MPF não foi possível definir o atual estado dos débitos, se há parcelamentos ou se existe inscrição junto à divida ativa.

“O MPF requisita relação de todos os débitos existentes relacionados à empresa e seus sócios. Em relação à empresa N&N, são pedidos ainda todos os informes e declarações feitas pela empresa ao órgão, relacionados a débitos existentes e sua situação. Da mesma forma foi pedido que a Receita Federal traga ao conhecimento do MPF outras informações relacionadas ao investigado e a qualquer uma de suas empresas”, diz comunicado.

Na Espanha, está aberta investigação após denúncia de um sócio do Barcelona, e o Ministério Público de Santos estuda solicitar as informações do caso, “através de pedido de colaboração”.

O Barcelona anunciou em agosto passado que a contratação custou € 57,1 milhões, mas na semana passada o próprio clube, após a denúncia que resultou na renúncia do presidente Sandro Rosell, que o valor total da negociação será de € 132,2 milhões em cinco anos.

Em entrevista coletiva concedida nessa terça-feira (28), em Santos, Neymar da Silva, pai do atacante, garantiu que não deve nada às receitas de Espanha ou do Brasil.

Sem mais artigos