Torcida do Real Madrid se revolta com o clube por mudança no escudo

Torcida do Real Madrid se revolta com o clube por mudança no escudo

A decisão tomada pelo Real Madrid, na última semana, de tirar a cruz da coroa de seu escudo por conta de um polpudo patrocínio assinado com um banco de Abu Dhabi pode virar motivo de uma guerra fria religiosa entre torcedores católicos do clube espanhol. Um grupo com duas mil pessoas, liderado pela Asociación Enraizados, assinaram um pedido para que o símbolo não seja retirado.

“O Real Madrid utiliza um escudo diferente dependendo de onde está. Se está na Europa, a coroa tem uma cruz; se viaja aos Emirados Árabes, a coroa dispensa a cruz. Parece que pesa mais o dinheiro que a história do clube”, afirma o comunicado no site da entidade.

Além do comunicado, os católicos iniciaram um protesto público nas redes sociais usando a hashtag #LaCruzDelEscudoNoSeToca.

Como foi selado o acordo?

Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, assinou em setembro deste ano o acordo com o Banco Nacional de Abu Dhabi e comemorou bastante os valores registrados na negociação. O acerto, contudo, inclui a presença do escudo do time espanhol em uma linha especial de cartões de crédito. Com receio de uma rejeição dos religiosos árabes, ficou decidido a retirada da cruz, para não desagradar os clientes muçulmanos. O efeito, no entanto, causou um mal estar entre os torcedores conservadores do Real e o bololô já está armado, e sem data para terminar.

Acordo com banco rendeu um grande patrocínio ao Real Madrid

Acordo com banco rendeu um grande patrocínio ao Real Madrid

Mudança de escudo do Real Madrid vira treta religiosa e grupo de católicos quer veto; entenda

Sem mais artigos