A saída do Cimed do time de vôlei do Florianópolis foi motivo de lamentação de grandes jogadores como Murilo, do Sesi-SP, melhor jogador da Liga Mundial de Vôlei em 2010.

“É muito triste. É difícil de entender uma empresa simplesmente abandona depois de um tetracampeonato. Acho que resultado não se pode questionar, tudo bem que nos últimos dois anos eles saíram nas quartas de final. Mas, acho que criou um vínculo com a cidade de Florianópolis, com os torcedores com o próprio meio do vôlei. Como é que a gente vai disputar uma Superliga sem Florianópolis”, afirmou o ponta.

No entanto, o atleta mantém esperança que o clube continue e lembrou o que aconteceu com o Finasa Osasco há três anos quando o time “terminou” com a saída do patrocinador, mas voltou a existir com o investimento da Nestlé.

“Aconteceu isso com o time do Finasa quando acabou e a Nestlé adotou o time. Está vendo ai que está dando resultado, três anos, três finais e dois títulos. Espero que uma empersa se solidarize com a perda da Cimed”, disse Murilo.

Outro assunto abordado pelo atleta foi a possível ida de Ricardinho para os Jogos Olímpicos de Londres. Para Murilo, o levantador vive um bom momento, mas garantiu que a decisão ficará por conta apenas de Bernardinho.

“Acho que é uma coisa muito particular do Bernardo, a gente nunca se envolveu em convocação, não vai ser dessa vez que a gente vai se envolver. Ele está numa fase muito boa, isso ninguém pode negar, sempre foi um grande levantador e sempre vai ser um dos gênios da posição, mas não cabe a gente julgar”, completou.

Sem mais artigos