Na primeira partida em que Josep Guardiola e Barcelona estiveram em lados opostos após uma parceria vitoriosa de quatro anos, o técnico levou a melhor, comandando o Bayern de Munique na vitória por 2 a 0 em amistoso disputado nesta quarta-feira (24) na Allianz Arena.

Os times entraram em campo em momentos diferentes na pré-temporada. O Bayern já disputou cinco partidas, enquanto o Barça entrou em campo para seu primeiro amistoso. Além disso, no time catalão, nove atletas ainda não começaram as atividades, entre eles o atacante Neymar.

Mais bem preparada, a equipe dirigida por Guardiola fez 1 a 0 no primeiro tempo, com gol do lateral Philipp Lahm, que jogou como meia, e confirmou a vitória a poucos minutos do fim do encontro, graças ao atacante Mario Mandzukic.

Além do reencontro do Barcelona com o melhor treinador de sua história, o jogo foi uma reedição de um confronto de semifinais da última Liga dos Campeões. Na ocasião, os alemães se classificaram com duas vitórias, por 4 a 0 na Allianz Arena e 3 a 0 no Camp Nou.

Os diferentes estágios de preparação ficaram nítidos logo no começo do duelo. O Barça até assustos com menos de um minuto no primeiro tempo, em chute de Messi que raspou a trave direita do goleiro Neuer.

Na equipe catalã, o lateral-esquerdo Adriano foi titular, enquanto no Bayern o lateral Rafinha e o zagueiro Dante foram titulares; o volante Luiz Gustavo entrou na etapa final.

Contudo, rapidamente, o time anfitrião tomou o controle das ações. O primeiro gol dos donos da casa esteve perto de sair aos quatro minutos, em finalização de Robben que foi bloqueada por Adriano, e aos oito, quando Alaba encheu o pé e Pinto espalmou.

A pressão inicial deu resultado aos 13 minutos. Ribéry levantou para Lahm, que levou a melhor contra Mascherano e tocou para a rede, tirando do arqueiro adversário e fazendo 1 a 0.

A equipe visitante enfim voltou a incomodar aos 17, na tabela entre Montoya e Sergi Roberto, que ficou cara a cara com Neuer, mas, caindo, chutou para fora. A resposta do Bayern foi dada cinco minutos depois por Müller, que teve liberdade para avançar pelo meio e bater com efeito. A bola foi perigosamente à esquerda do alvo.

O ritmo do jogo foi caindo aos poucos. Os times trocavam passes, mas não mostravam muita objetividade. A inércia foi quebrada aos 37 minutos, quando Tello cortou da esquerda para o meio e concluiu colocado, perto do poste esquerdo.

Por pouco, o time visitante não empatou ainda na primeira etapa, aos 44, em uma trapalhada da defesa dos alemães. Rafinha tocou com o peito para Neuer, que não alcançou. A bola bateu na trave e foi pela linha de fundo.

Após o intervalo, a partida demorou a engrenar, já que as equipes voltaram do vestiário com várias alterações. Foi preciso uma falha de uma das defesas para que um lance de perigo acontecesse. Aos 17 minutos, Quintillà saiu jogando errado, Ribéry rolou e Mandzukic, que finalizou rasteiro no canto esquerdo. O goleiro se esticou toco e espalmou.

Mesmo tendo menos a bola e menos jogadores consagrados em campo, o Barça ainda incomodava. Aos 21, após troca de passes, Espinosa chutou por cima do travessão.

Os treinadores continuaram mexendo nos times, e a partida foi ficando cada vez mais sonolento. Os goleiros eram meros espectadores. Oier, que substituiu Pinto, até foi exigido aos 35, mas segurou com facilidade. Shaqiri cortou da direita para o meio deixando três marcadores para trás, mas bateu fraco.

O tiki taka, característico do Barcelona e da seleção espanhola e que vem sendo implementado por Guardiola no Bayern, deu resultado para o time de Munique aos 41 minutos. A bola foi de pé em pé até chegar a Contento na esquerda. O lateral cruzou rasteiro e Mandzukic completou para a rede.

Ficha técnica:

Bayern de Munique: Neuer (Starke); Rafinha (Can), Boateng (Kirchhoff), Dante (Luiz Gustavo) e Alaba; Kroos (Schweinsteiger), Lahm (Van Buyten) e Thiago Alcântara (Pizarro); Robben (Shaqiri), Müller (Mandzukic) e Ribéry (Contento). Técnico: Josep Guardiola.

Barcelona: Pinto (Oier); Montoya (Kiko), Bartra (Planas), Mascherano (Sergio Gomez) e Adriano (Patric); Song (Ilie), Dos Santos (Espinosa) e Sergi Roberto (Quintillá); Sánchez (Dongou), Messi (Roman) e Tello (Nieto). Técnico: Jordi Roura.

Árbitro: Felix Brych (Alemanha).

Cartões amarelos: Mascherano e Bartra (Barcelona).

Gols: Lahm e Madzukic (Bayern).

Estádio: Allianz Arena, em Munique.

Sem mais artigos