<br>
Os Jogos Pan-Americanos do Rio já acabaram, o vôlei brasileiro conseguiu a tão esperada medalha de ouro e, mesmo assim, a polêmica em torno da dispensa do levantador Ricardinho da seleção do Brasil continua.

O técnico Bernardinho lamentou as declarações do atleta, proferidas no recente lançamento de seu livro "Levantando a Vida", que conta a trajetória de Ricardinho.

O levantador disse que só voltaria para a seleção brasileira se o treinador se retratasse em público; o jogador voltou a dizer que não sabe até hoje o motivo de sua dispensa.

Nesta quinta-feira, foi a vez dos jogadores do Brasil falarem sobre o assunto. Para o capitão Giba – que herdou a braçadeira após a saída de Ricardinho – a decisão tomada por Bernardinho foi correta. "Faz três noites que eu não durmo me questionando: Era a hora certa ou não era a hora certa? Eu, como o Bernardo, achei que a hora certa a ser feito era essa", disse ele.

Ao analisar as declarações de Ricardinho, Giba acha que o levantador está sendo mal orientado. "Ele está com a cabeça quente, chateado, magoado. Mas acho que ele está sendo mal assessorado para falar essas coisas. Ele foi e é como cada um que está aqui dentro. Ele fez parte disso tudo e ajudou a construir essa casa", finalizou o atacante do Brasil.

<b>Veja também:</b>
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=20387>Brasil: Vitória fácil na estréia da Copa América</a>

Sem mais artigos