Nesta segunda-feira (21), a revista americana Forbes publicou uma pesquisa apontando o jogador mais odiado do futebol americano. E com alguma vantagem para os demais, o vencedor foi Michael Vick, quarterback do Philadelphia Eagles.

“Consideramos apenas os jogadores em atividade na NFL que possuam no mínimo 10% de ligação com o público” diz a matéria. “De acordo com os números , 53% dos entrevistados expressaram desagrado para Vick. Os torcedores podem pensar que ele não esteja se esforçando muito, ao menos o que parece que ele já não é mais querido pelo grande público.”

Uma das razões que fez com que Vick conseguisse essa antipatia toda pelos torcedores foi a condenação que sofreu em agosto de 2007, por promover rinha de cães em sua própria casa na Filadélfia. O jogador se declarou culpado de todas as acusações e ficou 21 meses preso, seguido de dois meses de prisão domiciliar.

Com o problema na justiça, Michael acabou perdendo seu contrato na NFL e todos os seus patrocinadores, que combinando com seus gastos absurdos, o fez entrar com pedido formal de falência em julho de 2008. O dono do Atlanta Falcons, equipe que defendia na época, Arthur Blank não o queria mais no time e o dispensou. Após cumprir a pena, assinou com o Philadelphia Eagles e foi reintegrado a liga na temporada de 2009, onde teve uma boa atuação apesar de todo o tempo em que ficou afastado.

Deve-se considerar também que, assim como no futebol do Brasil, a popularidade no futebol americano está diretamente relacionado ao desempenho do atleta nos jogos. Prova disso é que em 2010, foi considerado o MVP, melhor jogador da temporada, e era difícil encontrar um jogador mais popular na cidade àquela época .

Sem mais artigos