O nadador americano Michael Phelps deu mais um passo nesta sexta-feira (16) em suas intenções de voltar às competições e estar presente nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, após vencer a prova dos 100 metros borboleta em Charlotte, no estado americano da Carolina do Norte.

A presença de Phelps na competição Arena Grand Prix permitiu que o supercampeão olímpico entrasse em ação pela segunda vez desde que anunciou sua aposentadoria das piscinas após os Jogos Olímpicos de Londres 2012, desta vez no topo do pódio.

É certo que Phelps foi ajudado pela ausência de seu grande rival e amigo Ryan Lochte, que venceu em seu retorno em Mesa (Arizona) em abril e está lesionado.

Phelps saiu vencedor após ter um dia difícil nas preliminares da manhã, nas quais também nadou os 200 metros livres, mas pela tarde decidiu concorrer em apenas uma prova, os 100 metros borboleta, na qual tinha ficado em segundo lugar em Mesa, atrás de Lochte.

Além da vitória, o que mais trouxe esperanças a Phelps foi a certeza de que conta com grandes possibilidades de conseguir uma vaga na equipe americana para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016.

Phelps, de 28 anos, voltou a mostrar que sabe como ganhar melhor do que ninguém e, após o término da prova, reconheceu que se sentiu muito bem com a vitória e que esperava repeti-la no futuro.

Com uma excelente saída e uma vantagem confortável na última volta, Phelps alcançou fácil o tempo de 52s13 e ficou quase meio corpo à frente do segundo colocado, Pavel Sankovich, representante olímpico de Belarus nos Jogos de 2012.

Phelps igualou seu tempo conseguido em Mesa, mas em Charlotte não teve que se esforçar devido à ausência de Lochte, o que fez com que não conseguisse uma marca melhor.

Os próximos encontros de Phelps e Lochte serão em agosto quando será disputado o campeonato nacional no sul da Califórnia e os campeonatos Pan Pacific, na Austrália, onde serão escolhidos os integrantes da equipe americana para o Mundial da Rússia em 2015.

Phelps reconheceu que, apesar de nunca colocar seu foco nos outros nadadores, é evidente que não gosta de perder, muito menos para um rival como Lochte, o que faz com que fique mais motivado nas competições.

O atleta com mais medalhas olímpicas na história (22), das quais 18 são de ouro, deverá treinar a partir da próxima semana na altitude do estado americano do Colorado durante um mês, em busca de maior resistência física.

Espera-se que depois Phelps busque um programa mais extenso de participação na última etapa do Grand Prix da temporada, que será realizada em Santa Clara (Califórnia) no final de junho.

Phelps deverá continuar na prova dos 100 metros borboleta e provavelmente tentará participar dos 200 metros livres e dos 200 medley.

O supercampeão olímpico reconheceu que poderá comprovar em Santa Clara sua verdadeira condição física e as possibilidades reais que tem nas competições futuras, algo que lhe traz grande ansiedade, mas, ao mesmo tempo, também uma motivação enorme para seguir superando os aspectos técnicos nos quais deve melhorar.

Sem mais artigos