<br>
A terceira derrota no Paulistão (<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=23393>clique aqui e saiba mais</a>) deixou o Santos enfurecido. Logo após a partida contra o Barueri, na Vila Belmiro, o técnico Emerson Leão sugeriu que o árbitro Otávio Correa da Silva estava "alterado".

Segundo informou o diretor jurídico do Santos, Angelo Ramos, o juiz foi medicado pelo departamento médico santista antes da partida. "Isso causou estranheza. Chama a atenção um homem que vai passar 90 minutos precisando tomar decisões pontuais receber atendimento médico", disse o dirigente.

Otávio Correa da Silva anulou um gol do Santos – marcado pelo jovem atacante Tiago Luís – e mandou voltar cobrança de pênalti convertida por Rodrigo Tabata. Na segunda vez, o meia perdeu o pênalti. "Achei que o árbitro não estava muito normal", disse Leão.

À seu modo, o treinador transferiu a responsabilidade da derrota para a arbitragem. "Se o árbitro estivesse em um dia normal, o resultado seria normal. Não quero falar absurdos, mas acho que ele mudou o resultado, nada mais do que isso", afirmou o treinador.

O Santos chegou a pedir, na noite de ontem, que o árbitro fosse submetido a um exame antidoping. Otávio Correa Silva, no entanto, se recusou a fazê-lo. Nesta sexta, a diretoria alvinegra promete enviar para a Federação Paulista de Futebol (FPF) vídeos nos quais, segundo os santistas, o juiz cometeu erros claros.

<b>LEIA TAMBÉM:</b> <a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=23389>E Parreira saiu derrotado em mais uma Copa…</a>

Sem mais artigos