Um relatório anual sobre as finanças do futebol espanhol divulgado nesta quinta-feira apresenta panorama negativo da situação atual dos clubes e do campeonato nacional, definido como uma agonia lenta provocada pela má gestão econômica.

O estudo foi elaborado pelo economista José María Gay de Liébana, professor da Universidad de Barcelona. “A liga espanhola não cresce, cresce só para dois clubes, Barcelona e Real Madrid. Os demais estão como estavam há cinco anos. O futebol espanhol está morrendo e os estádios estão me dando razão”, afirmou o especialista durante uma conferência.

O relatório se baseia nas principais ligas do futebol europeu: inglesa, alemã, italiana e francesa. A gestão do Campeonato Alemão é destacada, por ser a mais saudável financeiramente e que leva maior público aos estádios, desbancando assim o poderio econômico do campeonato e dos clubes ingleses.

“O modelo da Premier League, do ponto de vista financeiro está em queda, mas há o modelo de dono do clube, como Roman Abramovich. As perdas do Chelsea são financiadas através da holding empresarial”, explica o economista.

Sobre a liga espanhola, Gay de Liébana ressaltou especialmente a divisão dos direitos televisivos, na qual Real Madrid e Barcelona ficam com praticamente 50% do montante. A mesma situação não acontece em países como Alemanha e Inglaterra.

Com os dados da temporada 2010/2011, os números indicam que os clubes do Campeonato Espanhol tiveram receita de pouco mais de 1,6 bilhão de euros, enquanto as despesas atingiram 1,8 bilhão de euros. Segundo o relatório, a principal causa do déficit no futebol do país são os salários dos jogadores.

O estudo ainda mostra as diferenças nas receitas dos clubes da elite do futebol da Espanha. Barcelona e Real Madrid, com 450 milhões e 479 milhões de euros, respectivamente, estão em patamar muito superior a rivais como Valencia (119,6), o Atlético de Madrid (99,9) e o Sevilla (82,9).

Segundo o economista, é preciso rever os direitos televisivos, para que sejam mais igualitários. Além disso, é indicada a necessidade de revisão dos valores pagos pelas emissoras, já que os valores pagos na Espanha estão longe dos praticados na Inglaterra ou Itália.

O estudioso catalão ainda afirmou que mesmo com maior receita, o Barcelona tem situação financeira mais consistente. “No momento em que os jogadores da base estão sendo utilizados, o Barça é mais rico”, concluiu. 

Relatório aponta agonia financeira do campeonato e clubes espanhois

Sem mais artigos