<br> Romário vai ter uma dor de cabeça com a justiça. Nesta quarta (5), sua ex-esposa, Mônica Santoro ganhou a primeira batalha de uma briga judicial que dura desde 1998, pela divisão dos bens do casal que se separou em 1995. O Superior Tribunal de Justiça determinou que deverá ser incorporado na partilha um imóvel que segundo Mônica havia sido vendido por Romário abaixo do preço de mercado, para esvaziar o patrimônio do casal. O advogado do Baixinho, Norval Valério, afirma que o jogador tem como provar que isso é mentira.

“Essa decisão não tem lógica. O apartamento foi avaliado em US$ 28 mil e vendido por US$ 20 mil para uma pessoa indicada pela Mônica. Poucos meses depois, Romário comprou uma cobertura na Barra da Tijuca por US$ um milhão, que é o seu maior patrimônio, e uma sala comercial que vale cinco vezes aquele apartamento. Tudo em nome dele e dela. Ele iria querer esvaziar o patrimônio do casal vendendo o de US$ 20 mil?”, pergunta o advogado.

Segundo a decisão do STF, Romário se desfez do imóvel para burlar o inventário e a partilha dos bens. Dessa forma, a venda é cancelada e o apartamento volta a ser patrimônio de uma empresa em nome dos pais do jogador.

Além dessa acusação, Mônica fez um pedido por perdas e danos, pois alega que poderia ter conseguido mais dinheiro alugando o imóvel. No entanto, o pedido foi negado pelo STF.

<b>Veja também:
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=20833>Quem são os melhores do mundo para Ronaldinho Gaúcho?</a>

Sem mais artigos