Chateado com os protestos violentos realizados pela torcida do Corinthians desde a última quarta-feira, quando a equipe paulista foi eliminada na fase preliminar da Taça Libertadores, o atacante Ronaldo chamou os manifestantes de “terroristas” neste sábado e revelou que pensou em antecipar a aposentadoria.

“Condeno todo tipo de manifestação violenta. Quero também esclarecer que esses vândalos não representam a nação corintiana. Essa minoria violenta é financiada por terroristas ligados ao clube. E alguns querem simplesmente transformar uma derrota em uma guerra”, declarou, chateado, o camisa 9 do Timão através do Twitter.

Ronaldo foi um dos principais alvos da ira dos torcedores do Corinthians, que protestaram diariamente e de forma violenta desde a eliminação do torneio continental. Além dele, o lateral Roberto Carlos e o técnico Tite também foram bastante criticados.

“Pensei muito nesses últimos dias sobre antecipar a minha aposentadoria, mas não vou dar esse gostinho a esses vândalos e críticos”, completou o centroavante, que já havia dito que pretende pendurar as chuteiras no final deste ano.

Neste sábado, centenas de pessoas apedrejaram um ônibus que o clube utilizou para levar o elenco até o centro de treinamentos da equipe.

Os incidentes terminaram sem feridos nem detidos, mas, segundo fontes do clube, deixaram os jogadores em “pânico”. Ronaldo não estava entre eles, já que se recupera de uma lesão muscular na perna direita e não enfrentará o Palmeiras neste domingo, em clássico válido pelo Campeonato Paulista.

Ronaldo condena torcedores "terroristas" e diz que pensou em parar

Sem mais artigos