Principal nome do UFC feminino, a campeã peso-galo Ronda Rousey já teve seu nome várias vezes associado a combates contra homens que praticam o MMA. Polêmica, a lutador, em entrevista ao jornal americano ‘The Daily Beast’, disse que não concorda com esse tipo misto de combate e, apesar de brincar que aceitaria qualquer desafio no octógono, a ex-judoca explicou o motivo para não aprovar uma luta contra um homem.

“Não é uma ótima ideia ver um homem bater em uma mulher na TV. Nunca vou dizer que vou perder para um homem, mas você não poderia ver uma menina ganhando dinheiro para bater em um cara na TV porque é uma imagem ruim. É divertido para teorizar, falar sobre o assunto, mas é algo que é muito melhor na teoria do que fato”, disse.

Vindo de mais uma defesa de cinturão, desta vez contra Cat Zingano, no último dia 28 de fevereiro, pelo UFC 184, Ronda Rousey segue invicta na organização e aguarda sua próxima desafiante. A brasileira Cris Cyborg, que é detentora do cinturão na categoria peso-pena pela organização Invicta FC, está de olho na campeã e pode ser a próxima a encarar a americana.

Sem mais artigos