O São Paulo jogará em casa, no Morumbi, o clássico desta rodada pelo campeonato paulista contra o Corinthians. O jogo deste domingo (31) terá jogadores do lado tricolor que gostam de arriscar com a bola parada e esta pode ser uma arma fundamental para sair com os três pontos.

Falando-se em São Paulo e cobranças de falta, certamente vem à cabeça do leitor o goleiro Rogério Ceni, que 109 gols na carreira, 57 em cobranças de falta. No último dia 27, o goleiro-artilheiro comemorou o segundo aniversário de seu centésimo gol, justamente contra o eterno rival.

Mas no elenco são-paulino há outros postulantes a protagonistas na especialidade.

“É uma característica minha e hoje sabemos que o jogo, ainda mais um clássico, é definido em detalhes e a bola parada pode ser determinante”, aposta o lateral-esquerdo Carleto, que será titular no lugar de Bruno Cortez.

Já o camisa 10 do time, Jadson, que vem fazendo um ano muito bom e vai deixando a desconfiança da torcida de lado, fez questão de lembrar o fato de haver mais de um jogador no grupo que saiba pegar bem na bola. Ele próprio é um deles.

“Ter mais de um batedor é importante porque dificulta a marcação adversária. Às vezes a bola de um cobrador não está dando certo e ao mudar o jeito podemos surpreender”, disse.

Quem surpreende muito bem também é o zagueiro Rafael Tolói, que treina bastante o fundamento. Com estilo diferente de Rogério, Carleto e Jadson, o defensor é adepto do chute forte, reto, que estufa as redes adversárias.

“Tenho treinado bastante e no momento decidimos quem vai bater. Depende muito do posicionamento e da confiança. Temos boa opções”, finalizou Tolói.

 

São Paulo aposta na bola parada para vencer clássico contra o Corinthians

Sem mais artigos