<br>A motorista do Ford Ka atingido pelo Porsche de Adriano na madrugada desta sexta-feira, Luciana Araripe de Souza, de 34 anos, afirmou que nem cogita a hipótese de entrar com um processo na vara cível contra o jogador do São Paulo. "O que importa é que eu e minhas amigas estamos vivas, meu carro já está no seguro e vai ser consertado. Não quero aparecer em cima de alguém só porque ela tem dinheiro", disse, por telefone, ao Virgula.

De acordo com o delegado do 78º DP, José Roberto Pedroso, onde foi registrado o boletim de ocorrência após o acidente, Adriano poderia ser indiciado como co-autor caso alguma das vítimas (eram quatro mulheres) resolvesse responsabilizá-lo, por ser dono do automóvel.

Luciana disse que está totalmente recuperada, apesar do susto após o impacto – seu carro chegou a rodar na Avenida Paulista. Não viu o jogador no automóvel e duvida que ele pudesse estar dentro do Porsche enquanto seu amigo, Aloisio Ferreira, negociava como seria o conserto do carro atingido. "Só se estivesse muito bem escondido", brincou. "Mas não estava mesmo."

Ela acredita que Aloisio estava em alta velocidade ao cruzar o sinal vermelho na Avenida Paulista. "Se não, teria conseguido frear", comentou. Luciana atravessava a Rua Pamplona "sóbria", garante. "Ele também não parecia ter bebido nada. E outra coisa, foi super atencioso, chamou logo o seguro e fez de tudo para nos ajudar." O amigo de Adriano estava acompanhado de duas garotas, que não o acompanharam à delegacia.

Jornalista, ela diz que não teria razão alguma para esconder a informação caso o atacante estivesse no local do acidente. São-paulina, ela brinca: "Se o Adriano me pedisse para não contar pra ninguém, aí eu não falaria", disse. "Mas não foi isso o que aconteceu", reafirmou.

<b>E MAIS:</b> <a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=23941>Adriano pode ser indiciado como co-autor por acidente</a>

Sem mais artigos