<br>
O São Paulo conseguiu uma importante vitória em cima do Fluminense nesta quarta-feira. Após o jogo, o superintendente de futebol do clube paulista, Marco Aurélio Cunha, falou ao <b>Virgula</b> sobre a importância de Adriano, a recuperação de Hugo e o placar que deix ao São Paulo a um empate das semifinais da Libertadores.

<b>Resultado expressivo</b>

A vitória é o mais importante. Futebol vc tem que ganhar, não adianta querer fazer dois ou três gols. Os gols acontecem de uma forma natural. O São Paulo venceu, não tomou gol em casa o que é uma vantagem. Nos dá todos os empates possíveis. Eu acho que foi um resultado pequeno, mas muito expressivo.

<b>Elogios ao adversário</b>

Não é um time qualquer, tanto que terminou em primeiro na fase de classificação. Foi a equipe que mais pontuou. É o time que tem um elenco bom, um bom treinador. Então eu acho que a vitória foi muito importante, principalmente por não termos sofrido gol.

<b>Adriano: salvador do São Paulo</b>

Ele tem jogado bastante, ele vem buscando o jogo e ao mesmo tempo aparecendo no rebote e na bola aérea. Acho até que ele faz isso melhor ao lado do Borges, mas quando ele joga com Dagoberto e Hugo ele pôde recuar um pouco mais. Ele tem sido muito importante. Ele jogou todos os jogos que o São Paulo convocou, com exceção das partidas que esteve suspenso. Não saiu substituído em nenhuma partida, jogou em Marília, em Bragança, nunca fez nenhuma restrição. Nós recuperamos o Adriano, e ele vem nos recompensando com seu talento.

<b>Futuro de Adriano</b>

Ele pode fazer muito mais do que vem fazendo. Se ele quiser, ele é insuperável. Pela força fisica, pela qualidade técnica. Basta que ele se conscientize que buscar mais é possível. Às vezes o jogador, por ser muito bom, se restringe e se acomoda a ser nota 8, quando ele poderia ser 10 ou 12.

<b>Os novos "reforços"</b>

Eu acho que o treinador vem recuperando jogadores, como Hugo e Dagoberto. O São Paulo tolera as fases ruins dos jogadores com muita sabedoria, o clube tem paciência. Nós não difamamos os nossos jogadores, ao contrário do que acontece nos outros clubes. A diretoria cobra, mas sabe esperar. Aliás, é do histórico do clube esperar, desde a época de Pedro Rocha, Dario Pereyra. Quem recupera os jogadores é o Muricy. Cabe à diretoria esperar o momento destes jogadores ressurgirem.

<b>LEIA TAMBÉM:</b>
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=25235>Brasil foi favorecido na Copa de 1994?</a>

Sem mais artigos