Victor Piturca, técnico da seleção romena de futebol, foi condenado nesta terça-feira (04) a um ano de prisão, por ter mentido durante julgamento sobre a tentativa do Steaua Bucareste de combinar um resultado em 2008.

O treinador foi acusado de assinar um falso contrato de compra e venda de terrenos para encobrir a entrega de 1,7 milhões de euros ao Universitatea Cluj, como “mala branca”, para que a equipe ganhasse ou empatasse no duelo contra o Cluj, na temporada 2007/2008, que teria dado o título romeno ao Steaua, o que não aconteceu.

Piturca, no entanto, não será preso, diferentemente do presidente do clube de Bucareste, Gigi Becali, condenado a três anos, que se somam a outras penas. O dirigente estava preso antes da audiência de hoje, por abuso de poder e por sequestro.

Sobre o dinheiro dado ao Universitatea Cluj, Becali garantiu que o dinheiro estava destinado a compras de terrenos e apresentou contrato assinado por Piturca como comprovação, documento que o técnico reconheceu como autêntico no tribunal.

Sem mais artigos