<br>Teresinha Maranhão, mãe da nadadora Joanna Maranhão, disse em entrevista ao <i>Globoesporte.com</i> que aguarda a intimação de Eugênio Miranda, que deve entrar com ação na justiça contra as acusações de assédio.

Quando perguntada se tinha provas ela fez suspense.
“Se eu chegar a ir a julgamento, aí eu mostrarei se tenho razão para me defender ou não.”

A mãe ainda lembra que Joanna fez terapia para superar o trauma e que, hoje em dia, está concentrada apenas em obter índice em suas provas para ir à Olimpíada de Pequim.

“Se Joanna achou que o momento de exorcizar os fantasmas da vida dela era esse, eu estou com ela para o que precisar. Só quem passa por uma situação assim, sabe o terror que é. E o trauma não passa nunca. Você pode botar para fora, até verbalizar publicamente, como foi feito, mas essa é uma cicatriz que fica para sempre. Só espero que nunca aconteça com a filha dele o que aconteceu com a minha.”

Quando questionada sobre o que falaria à Eugênio se pudesse, ela responde na lata: “Se eu pudesse mandar uma mensagem para esse cidadão, eu diria que pusesse a mão na consciência e lembrasse que ele tem uma filha”.

<b>LEIA TAMBÉM:</b>
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=23633>Estádio do Internacional receberá partida da seleção</a>

Sem mais artigos