Vivendo um de seus melhores momentos no futebol europeu, onde é destaque da Juventus, da Itália, o atacante argentino Carlitos Tevez desabafou em entrevista concedida à Rádio La Red e jogou a toalha ao ser questionado se estaria no Brasil em 2014 com a seleção para disputar a Copa do Mundo. Direto, o atleta afirmou que mesmo jogando bem não será lembrado pelo técnico Alejandro Sabella.

“Mesmo que eu marque 30 gols, não serei convocado à seleção. Não me será dada essa oportunidade. Magoa ver jogar a seleção. O Mundial? Vou estar de férias, não vou perder o sono por causa disso. Já estive em dois”, disse Tevez à rádio argentina.

Atualmente com 29 anos, Tevez planeja cumprir seu contrato no futebol italiano e retornar em breve ao Boca Juniors, clube pelo qual foi revelado e ganhou diversos títulos, entre eles a Libertadores.

“Tenho três anos de contrato com a Juventus e, depois disso, irei provavelmente para o Boca Juniors. O meu amor por aquela camisa não mudou, podia jogar lá de graça”, afirmou.

Além da entrevista para a rádio argetina, Tevez também abriu o jogo em um papo a repórter Elvira Erbi, do site italiano Tuttosport. Nele, o atacante pediu que deixei Lionel Messi em paz e parem com os excessivos questionamento que o fazem dentro e fora de campo.

“Messi sabe que no Mundial do Brasil, se as coisas não estiverem bem, será o primeiro jogador a ser questionado. Temos de deixá-lo tranquilo e em paz, para que ele faça aquilo que sabe. Messi vai fazer aquilo que sabe, pois não há um jogador como ele. Ele poderia ficar em Barcelona tomando sol, mas prefere viajar durante 13 horas para defender a camisa da seleção”, afirmou o atacante da Juventus.

Já sobre o prêmio de Bola de Ouro 2013, Tevez não teve dúvida ao apontar o favorito e, pra ele, o merecedor da conquista. Com Messi lesionado e não vivendo um grande momento, o atacante acredita que Ribéry será o escolhido no próximo dia 23 de janeiro, em Zurique, na Suíça.

“Messi e Cristiano estão na luta pela Bola de Ouro todos os anos, mas nesta temporada se tivesse que dar o prêmio a alguém, seria para Ribéry, pela forma como jogou e porque o Bayern ganhou tudo o que dispotou”, concluiu.

Sem mais artigos