<br> Imagina treinar sob um sol de 52°C todos os dias. Para evitar isso, o técnico do Mesaimeer, clube da capital Doha, o brasileiro Luís Zaluar resolveu realizar todos seus treinos de noite, quando os termômetros marcam apenas 38°C.

"O verão aqui é rigoroso demais e a umidade é muito grande. No geral, durante o dia, pegamos temperaturas de 48°, então marcamos os trabalhos para sete da noite. Durante o dia trabalhamos na academia, mas com três aparelhos de ar-condicionado ligados", revela Zaluar, que ainda afirm que três galões de 20 litros de água são consumidos nos treinos.

"Todas as casas possuem cinco ou seis aparelhos três aparelhos de ar-condicionado ligados. Uma vez, quando fomos treinar, deixamos um ovo na frente de casa, quando chegamos, mais tarde um pouco, ele estava durinho", conta Zaluar rindo.

Além dele e de sua comissão técnica (formada pelos compatriotas Jairo Cunha, Felipe Verta e Fabio Lefundes), outros 52 brasileiros, entre treinadores e jogadores estão espalhados nos 16 clubes do Catar.

"O país é pequeno e tudo é perto. Por isso, tirando o calor, aqui é um lugar muito bom para se viver e trabalhar. Além disso, o país é bastante cosmopolita. Quase 70% da população (Nota: aproximadamente três milhões de habitantes) é de estrangeiros", encerra o brasileiro, que prepara seu time para a disputa da Copa das Confederações do Catar, que tem início no dia 20 de agosto. Os jogos do torneio, para a sorte dos brasileiros, serão disputados à noite.

<b>Leia também:
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=20253>Goleiro do Vitória vai sair nu em revista!</a>

Sem mais artigos