<br>Começa hoje um dos confrontos mais esperados da Libertadores da América e de toda a temporada do futebol brasileiro. O São Paulo recebe, às 21:45hs, o Fluminense, e precisa de um bom resultado para depois poder decidir a classificação para as semifinais no Maracanã.

A expectativa é de um Morumbi lotado, com mais de 50 mil torcedores empurrando o Tricolor pra cima do Flu. Torcedores estes, que depositam em Adriano toda a esperanças de gols do time, assim como a torcida do Fluminense espera que Washington acabe com seu jejum de gols e balance as redes nesta quarta-feira à noite. "Será um duelo interessante. O Adriano é um grande jogador, forte, perigoso, e que merece todo o nosso cuidado e atenção. Só que neste duelo com o Imperador, espero que o Coração Valente se dê melhor", afirmou o artilheiro das Laranjeiras.

Além do duelo de matadores, outros que medem forças hoje serão os treinadores das equipes. Nesta última terça-feira, em treinamento realizado no CT do Palmeiras, o técnico Renato Gaúcho, do Fluminense, trocou informações sobre o São Paulo com o comandante alviverde, Vanderlei Luxemburgo. No CT ao lado, o do Tricolor, Muricy pareceu não gostar muito do intercâmbio e disparou. "Acho um absurdo pedir informações a outros técnicos, ver o treino do adversário", disse.

O stress de Muricy pode ser explicado pelo fato de que, até agora, o treinador não sabe se irá poder contar com o polivalente Jorge Wagner, responsável pelas bolas aéreas da equipe, jogada que está fazendo a diferença nesta temporada. Se Jorge não puder ir a campo, Hugo deve ser mais uma vez a opção para começar como titular, embora Muricy, já programe novas táticas para insistir nas cobranças de falta e cruzamentos na meta adversária. "Tenho treinado outros para cobranças de falta, como o Dagoberto, o próprio Hugo e o Hernanes" , revelou.

No Flu, o que ainda não está definido é o esquema tático. Se Renato utilizar o 3-6-1, Arouca deve compor o meio-de-campo, deixando Dodô, o artilheiros dos gols de placa, no banco de reservas. O atacante será titular se o comandante usar o 4-4-2, e fará companhia a Washigton no ataque. O resto da equipe seria formada por duas linhas de quatro jogadores. "Claro que o Dodô é uma peça importante do nosso time, divide comigo a responsabilidade e preocupa qualquer defesa. Mas quem decide isso é o Renato, e o time que ele escalar, seja qual for, terá todas as condições de conseguir um bom resultado no Morumbi", finalizou Washington.

<b>LEIA TAMBÉM:</b>
<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/novo/nota.php?ID=25205>Luxa e Renato Gaúcho trocam informações sobre o Tricolor</a>

Sem mais artigos