<br>O atacante Túlio, de 38 anos, está hoje no Vila Nova, mas trocou tanto de clube que mal consegue lembrar dos lugares onde jogou. Se a camisa mudou muito, ele não. Por onde passou, com quem conversou, deixou ao menos uma declaração polêmica. Ao falar com o portal Virgula, estava inspirado e disparou uma frase com boas chances de entrar para a história: “Como profissional, não tenha dúvida de que vou fazer mais gols do que Romário e Pelé. Não tem como comparar meus números com os de ninguém.”

Com uma lógica que só quem é muito fã do artilheiro pode aceitar, ele explica: “Se o Romário contou gol amador para fazer mil, porque eu não posso contar”, disse. “E tem outra, nos 1.200, 1.300 gols do Pelé, só tem uns 700 como profissional”, deu de primeira Túlio Maravilha, que garante ter pelo menos 750 na carreira. Somando os das categorias de base, diz ele, dá 813. “Meu objetivo é chegar aos mil sim, evidente. Estou com 38, em forma, correndo e metendo gol. Nem penso em parar tão cedo”

O artilheiro que durante sua passagem pelo Botafogo carioca autodenominou-se Rei do Rio é um sujeito com sotaque goiano arrastado e uma autoconfiança até meio irritante. Mal ouve o que o repórter fala. Antes de qualquer pergunta, foi dizendo: “Sou um sujeito feliz, prestes a ter meu quinto filho. Sou ‘pentapai’ e ‘penta-artilheiro’, porque tenho cinco artilharias do Brasileiro, três delas na Série A”.

Ainda não definiu que rumo seguir em 2008. Está com um pé no Goiás, mas… “Só vou para lá se o time não cair. Afinal de contas, o Túlio é jogador de Série A.” É, ele tem o hábito de falar em terceira pessoa. “Se o Túlio estivesse aí no Brasileirão, teria metido gol adoidado. É um jogador que faz falta nos grandes clubes”, completou.

Só não voltou ainda a um time de ponta porque diz que alguns treinadores e dirigentes o boicotam…

<a target=_blank href=http://www.virgula.com.br/esporte/gatorade_esporte/nota.php?ID=22320>Leia a segunda parte da entrevista</a>

Sem mais artigos