O polêmico secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, voltou a dar suas declarações impactantes sobre Copa do Mundo. Depois do ‘chute no traseiro do Brasil’, a bola da vez no discurso do dirigente é a grama usada no Mundial entre seleções. Em um artigo publicado no site oficial da entidade, o francês rebateu as críticas sobre o uso do gramado artificial, no estilo do futebol society, e abriu a possibilidade dele ser usado, inclusive, no torneio.

“Pode ser mais cedo do que tarde que a Copa do Mundo masculina seja também jogada em campos artificiais”, disse Valcke, lembrando que o modelo de grama já é utilizado na Copa do Mundo feminina e que não há qualquer discriminação com o gramado.

Valcke já teve algumas ‘experiências’ com gramados artificiais aqui no Brasil

As declaração do dirigente acontecem no mesmo momento em que quarenta jogadoras, incluindo a atleta do ano eleita pela Fifa, Nadine Angerer, abriram um processo judicial no Canadá, país-sede da Copa do Mundo feminina, que acontece em 2015, contra a Associação de Futebol do Canadá (CSA, na sigla em inglês) e a própria Fifa.

A principal preocupação das jogadoras é o risco que o solo pode causar as atletas, além é claro de alterar a maneira de se jogar futebol. Quem pratica sabe que, dependendo do gramado, a forma de atuar muda.

Boa parte dos torneios femininos na Europa são disputados em gramados sintéticos

Insatisfeito com as acusações e declarações, Valcke não abaixo o tom do seu discurso e rebateu as declarações das jogadoras.

“Há muitos anos qualquer organizador de um evento da Fifa –independentemente de ser uma competição para homens ou mulheres, incluindo a Copa do Mundo masculina –tem o direito de propor que o torneio seja disputado em gramado artificial, desde que seja da melhor qualidade e que a mesma superfície de jogo seja usada em todos os locais de competição e treino”, afirmou ele.

A mudança está muito em cima para acontecer já no próximo mundial, que acontece em 2018, na Rússia, uma vez que os estádios já estão sendo construídos e alguns estão prontos. Agora, em 2022, no Qatar, ainda não se sabe. Será que temos um campeonato de seleções society no lugar da tradicional Copa do Mundo? Se depender da Fifa, que não entende nada de futebol, sim!

Sem mais artigos