Contratado pelo Atlético de Madrid junto ao Barcelona no mês passado, o atacante David Villa esteve perto de ser o principal protagonista do jogo de ida da Supercopa da Espanha nesta quarta-feira (21) por balançar a rede de seu ex-time, mas Neymar entrou em campo e dividiu as honras ao fazer o gol do empate em 1 a 1 no duelo disputado no estádio Vicente Calderón.

Depois de três anos no Barça, Villa perdeu espaço com a chegada do astro brasileiro e preferiu buscar novos ares. Logo na primeira oportunidade que teve, mostrou que, aos 31 anos, ainda tem bastante lenha para queimar ao marcar um belo gol no primeiro tempo.

Na etapa final, porém, Neymar, que mais uma vez começou entre os reservas, tratou de fazer com que a torcida deixasse de sentir qualquer saudade de seu antigo camisa 7 e igualou o placar com uma cabeçada certeira após cruzamento de Daniel Alves. A jogada representou o primeiro gol do atacante com a camisa blaugrana em jogos oficiais.

O time catalão volta para casa com a vantagem de empatar sem gols na partida de volta, marcada para a próxima quarta-feira (28), no Camp Nou. Para ser campeão, o Atlético precisará de uma igualdade em dois ou mais gols ou de uma vitória por qualquer placar.

O técnico do Barça, Gerardo Martino, voltou a usar Neymar apenas na segunda etapa, como já havia acontecido no último domingo (18), na estreia pelo Campeonato Espanhol, contra o Levante. E, assim como aconteceu no fim de semana, Neymar mostrou que tem dificuldades para ajudar na marcação e recebeu um cartão amarelo.

Entre os outros brasileiros do elenco, o lateral-direito Daniel Alves se recuperou de uma lesão no tornozelo esquerdo e foi titular, enquanto o lateral-esquerdo Adriano cumpriu suspensão por ter sido expulso em jogo contra o Real Madrid, na edição passada da Copa do Rei.

No Atlético, Diego Simeone escalou o zagueiro Miranda, o lateral-esquerdo Filipe Luis e o atacante Diego Costa. Já o também atacante Léo Baptistão ficou entre os suplentes e entrou depois no lugar de Arda Turan.

Os primeiros minutos de jogo tiveram ritmo lento. O Barça atacava mais e, como sempre faz, trocava passes com paciência em busca de um espaço na defesa adversária, que apareceu aos dez. Messi levantou da direita, Sánchez ajeitou e Pedro pegou de primeira, exigindo boa defesa de Courtois.

Mesmo tendo menos a bola, o time da casa foi mais eficiente e saiu em vantagem no placar um minuto depois. No contra-ataque, Villa tocou para Arda Turan na esquerda e apareceu na frente para completar a jogada com um belo chute de primeira e fazer 1 a 0.

Após o gol do Atlético, o Barcelona “acampou” no campo adversário, mas Courtois pouco trabalhava. Aos 24, Daniel Alves dominou na ponta direita e cruzou buscando Sánchez, que não conseguiu completar.

Com o passar do tempo, a partida foi ficando pegada. Os lances de perigo ficaram escassos, e os mais violentos aumentaram. Juanfran e Filipe Luis, pela equipe anfitriã, e Busquets, pelo Barça, receberam cartão amarelo.

Poupado por ter se recuperado de lesão recentemente, Messi, que teve atuação discreta, foi substituído por Fàbregas no intervalo. Mesmo sem o melhor do mundo, o time visitante voltou mais perigoso. Logo aos três minutos, Sánchez apareceu livre na frente e rolou justamente para Fàbregas, que foi travado.

A resposta do Atlético foi dada três minutos depois, em cobrança de falta. Koke fez o levantamento e Miranda não cabeceou para o gol por centímetros.

O zagueiro voltou a aparecer bem no ataque aos 15, protagonizando uma trama 100% brasileira. O ex-jogador do São Paulo deu uma de meia e serviu Diego Costa, que encheu o pé. Valdés pulou no canto e defendeu.

Os madrilenhos pareciam melhores, mas foi o Barcelona que balançou a rede, aos 21. Xavi rolou na direita da área para Daniel Alves, que levantou na medida para Neymar, que entrara aos 13 no lugar de Pedro, cabecear com firmeza no canto direito.

O gol mudou a dinâmica do jogo, e os catalães passaram a pressionar em busca da virada. Aos 28 minutos, Neymar adiantou para Sánchez, que, com pouco ângulo, bateu em cima do goleiro.

Satisfeito com o resultado, o time de Tata Martino diminuiu o ritmo, mas nem por isso deu espaços ao adversário. O Atlético até tentou se lançar à frente, e o técnico Diego Simeone fez alterações no setor ofensivo, mas elas não deram resultado.

Ficha técnica:

Atlético de Madrid: Courtois; Juanfran, Miranda, Godín e Filipe Luis; Mario, Gabi, Koke (Oliver Torres) e Arda Turan (Léo Baptistão); Diego Costa (Cristian Rodríguez) e Villa. Técnico: Diego Simeone.

Barcelona: Víctor Valdés; Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Jordi Alba; Sergio Busquets, Xavi (Song) e Iniesta; Sánchez, Messi (Fàbregas) e Pedro (Neymar). Técnico: Gerardo Martino.

Árbitro: Alberto Undiano Mallenco.

Cartões amarelos: Juanfran, Filipe Luis e Mario Suárez (Atlético de Madrid); Busquets e Jordi Alba (Barcelona).

Gols: Vila (Atlético de Madrid); Neymar (Barcelona).

Estádio: Vicente Calderón, em Madri.

Sem mais artigos