Nesta segunda-feira (05/07), a Seleção Brasileira feminina de vôlei já começou a colocar a mão na
massa em Taiwan, onde disputará o grupo B do Grand Prix, ao lado de República Dominicana, Alemanha e China. "Foi muito bom este primeiro dia de treinamento. Nossa maior preocupação era ‘tirar o avião das costas’, depois de tantas horas de vôos", disse o técnico Zé Roberto. "Optamos por começar a nossa temporada na Ásia com um treino físico para as jogadoras alinharem o corpo. Além disso, também tem a questão do fuso. Por isso, decidimos mexer com bola somente na parte da tarde", completou.

Entre as jogadoras, o clima era de alívio depois dos dois primeiros treinos. "Como é bom treinar. Depois de tanto tempo de viagem o corpo pede. Cheguei um pouco inchada e torta. Não via a hora de suar a
camisa e pegar na bola", contou a oposto Leila.

A Seleção utilizará o Grand Prix como um grande aquecimento para as Olimpíadas, em agosto, na Grécia. Das 12 seleções que disputam a competição, 10 estarão em Atenas: Brasil, Coréia, Japão, Itália, China, República Dominicana, Cuba, Alemanha, Rússia e Estados Unidos. Apenas Tailândia e Polônia não lutarão pelo ouro olímpico.

Consciente da importância do Grand Prix, o técnico Zé Roberto aponta os pontos positivos e negativos da competição na preparação brasileira. "Neste estágio de preparação que nossa equipe se encontra, este campeonato tem dois lados. O bom é que teremos a oportunidade de jogar com a maioria das equipes que vão os Jogos Olímpicos. Já o ruim é a proximidade com o início das Olimpíadas", avaliou o treinador.

Sem mais artigos