O homem de 70 anos acusado de atropelar e matar o pai de Nicki Minaj se entregou à polícia nesta quarta-feira (17). Ele será processado por deixar a cena do acidente sem prestar socorro à vítima e adulterar as evidências.

Charles Polevich foi identificado como o motorista que atropelou Robert Maraj, de 64 anos, na última sexta-feira (12), em Nova York. De acordo com a polícia do condado de Nassau, ele chegou a parar e descer do veículo, mas fugiu ao ver o estado debilitado de Maraj, que faleceu no hospital em decorrência dos ferimentos.

“Ele tem consciência do que fez”, afirmou o detetive Stephen Fitzpatric durante uma coletiva de imprensa. “Ele saiu do carro, checou a vítima, retornou ao veículo e conscientemente tomou a decisão de fugir ao invés de ligar para a emergência e socorrer o homem. Ele foi para casa e escondeu seu carro”, detalhou.

De acordo com a revista People, as autoridades conseguiram encontrar Polevich ao assistirem as imagens das câmeras de segurança e rastrearem o carro até o endereço do acusado.

Polevich está preso sob fiança de US$ 250 mil, cerca de R$ 1,3 milhão. Sua carteira de motorista foi suspensa, ele deve entregar o passaporte e não poderá deixar o estado de Nova York. Seu julgamento está marcado para o dia 26 de Fevereiro.

Sem mais artigos