Aguinaldo
Silva
criticou as manifestações contra o aumento da passagem de ônibus na
cidade de São Paulo, que passou de R$3,00 para R$3,20. Em seu Twitter, nessa sexta-feira (14), ele ironizou a situação.

“O que
aconteceu enquanto eu estava fora? O Brasil era o paraíso e de repente virou a
Síria, com o povo nas ruas tocando fogo em tudo? A nova classe média comprou
carro, TV de 500 polegadas, tudo que tinha direito e agora protesta por causa
da merreca de aumento de ônibus?”, escreveu o autor de novelas.

Ele ainda
continuou: “Continuo sem entender: Quem aumenta os ônibus não é a Prefeitura? A
prefeitura não é do PT? O que [o governador Geraldo] Alckmin tem a ver com isso? Ah sim, o
Alckmin botou a polícia na rua. Mas queriam o quê, que ele deixasse quebrar e
incendiar tudo? Alguém tem que botar ordem na orgia. Ah, o Metrô, que é do
Estado, também aumentou. Mas não são os ônibus que transportam a maioria da
população? Ônibus é com a Prefeitura…”.

Aguinaldo
ainda terminou o assunto soltando mais uma frase irônica: “Em Cuba a passagem
de ônibus é de graça… Mas quem disse que lá tem ônibus?”.

Após os
comentários, ele recebeu várias críticas nas redes sociais. “
Pelo visto o @aguinaldaosilva andou lendo a @VEJA e não sabe de p**** nenhuma!”, escreveu uma seguidora.

Outra pessoa escreveu: “O povo não amor, a polícia
destruiu a cidade e fez parecer que foram os manifestantes, que estavam a lutar
por causa justa
”.

Outro internauta ainda relembrou a personagem de
Christiane Torloni, na novela Fina Estampa de Aguinaldo, para criticar os comentários
do autor: “O cara não está por dentro de nada, aí surge, igual Teresa Cristina
surgiu, pra falar besteira. Faz favor”.

Sem mais artigos